Metrô 2033 - Dmitry Glukhovsky


Hoje a minha resenha é sobre um livro muito especial para mim. A primeira vez em que ouvi falar no "Metrô 2033" foi como um jogo de videogame. Tive a oportunidade de jogar e também de ler o livro, o que foi muito bom para que eu pudesse ter uma experiência completa sobre a história criada por Dmitry Glukhovsky.

O livro é ambientado no ano de 2033, onde, após um apocalipse nuclear, os seres humanos sobreviventes são obrigados a viver no subsolo, mais precisamente nas antigas linhas do metrô da Rússia. Devido à falta de luz, escassez de alimentos e água os humanos vivem em grupos isolados dentro do metrô formando pequenas vilas. Alguns grupos com maiores quantidades de pessoas chegam a formar incríveis cidadelas com mercados, restaurantes, estalagens e o mais importante: segurança.

Devido à radiação, novas formas de vida surgem dentro do metrô. Ratos gigantes e outras aberrações, vindas da superfície, perambulam na escuridão do subsolo. O medo é um companheiro constante das pessoas. 

Como se não existissem perigos o suficiente, um novo ser surge no subsolo. Algo que os humanos não conseguem explicar. Corpos são encontrados por todos os lados e estações do metrô, antes infestada de pessoas estão agora vazias. E é ai que nosso personagem principal se encontra. Artyom é incumbido de encontrar as respostas para salvar não só a sua estação-lar, mas também todo o sistema do metrô e a própria raça humana. Para isso ele irá percorrer boa parte de todo o metrô enfrentando perigos que nunca antes imaginara existir.

O livro conta com extraordinárias descrições de cenários e sentimentos, o que transporta o leitor para a aventura e o envolve completamente. O final é sem igual, fazendo com que todos nós paremos para pensar em nossas atitudes. Mesmo não estando em um mundo pós-apocalíptico, as lições do livro se encaixam perfeitamente em nossas vidas atuais.

Um mundo de mistérios e perigos aguardam aqueles que tiverem coragem de entrar no Metrô!
Uma ótima semana a todos os leitores!
Victor