As Horas - Michael Cunningham


A emoção com que escrevo este post é dupla. Primeiro porque este é o meu livro favorito e segundo porque esta é a minha estreia no Vida de Leitor. Mas vamos ao que interessa, que é o livro.

As Horas apresenta como personagens centrais Virginia Woolf, Laura Brown e Clarissa Vaughan. Essas três mulheres vivem conflitos semelhantes, mas em épocas diferentes. 


O enredo apresenta-se em três diferentes momentos históricos, desenrolados de forma paralela. Inicialmente, retrata Virginia Woolf, em 1923, escrevendo seu célebre livro Mrs. Dalloway. Em Richmond, onde, junto ao marido Leonard, busca a quietude necessária ao seu conturbado estado mental.

A segunda história passa-se em 1949, num subúrbio de Los Angeles. Laura Brown, casada com um herói de guerra – Dan –, mãe de um menino de 5 anos – Richie - e grávida do segundo filho, vê-se angustiada com sua vida e pensa em cometer suicídio. A trama relata apenas um dia na vida dessa mulher, que é leitora assídua de Virginia Woolf e que no momento, está lendo o livro Mrs. Dalloway. Seu marido está fazendo aniversário, e, como esposa, embora desanimada, Laura sente-se obrigada a lhe preparar uma surpresa.

A terceira história nos fala de Clarissa Vaughan, que vem a ser uma versão “atualizada” de Clarissa Dalloway do romance Mrs. Dalloway. Ao contrário de uma aristocrata inglesa do início do século XX, temos aqui uma editora que mora com a companheira, Sally, uma produtora de tv, num bairro elegante de Nova Iorque. Nesta terceira parte o autor relata o momento em que Clarissa prepara uma festa para Richard, em função de uma premiação literária que este receberia. Eles foram amantes por um verão na juventude e cultivaram uma forte amizade até os dias atuais.

Em apenas um dia várias e intensas situações são dramatizadas por estas personagens. E a maneira como as suas vidas estão interligadas é surpreendente! O romance é extraordinário e fala com uma delicadeza profunda e única de encontros, amores e escolhas. E a literatura se encontra presente na vida de cada uma dessas mulheres. Virginia, a escritora; Laura, a leitora e Clarissa, a personagem. Três mulheres presas no tempo e no espaço, nos seus próprios espaços, nas suas vidas.

Eu me emocionei e me emociono sempre que leio este livro, pois as histórias que ele conta nos remetem à nossa própria vida. Não é à toa que o autor Michael Cunningham ganhou em 1999 o Prêmio Pulitzer de Literatura e a sua obra foi transformada em filme homônimo em 2002. O filme também foi um grande sucesso de público, sendo indicado a 9 oscars e dando à atriz Nicole Kidman o Oscar de melhor atriz pelo papel de Virginia Woolf. Vale a pena ler o livro e ver o filme. 

Boa Leitura para todos e um abração!