A Garota da Capa Vermelha


Bobo, mas interessante.

Muitos acreditam que o livro segue a mesma linha de Crepúsculo, só pelo fato de na capa constar "Prefácio de Catherine Hardwick, diretora de Crepúsculo". Não estão totalmente equivocados, pois o livro, assim como o filme de mesmo nome, tem lá suas semelhanças com a obra de Stephenie Meyer.


A personagem, Valerie, é diferente das demais meninas de sua cidade, assim como Belle Swan também. Dois personagens, misteriosos e rivais, lutando pelo amor da menina, chegando a se unir em um momento de perigo? Sim, assim como em Crepúsculo. 

Mas as coincidências param por aí e A Garota da Capa Vermelha começa a se tornar uma história atrativa e rápida. Que prende o leitor até o fim do livro. História movimentada, sem muitas enrolações, sem muito detalhes, que fazem o leitor participar da história, como se lá estivesse.


O final do livro é surpreendente, mas não por ser "o gran finale", e sim porque a Editora ID resolveu fazer marketing, utilizando-se de um recurso que eu achei simplesmente ridículo. O leitor, ao terminar o capítulo 29, e seguir sem respostas, vira a página, esperando encontrar o capítulo 30 e encontra a seguinte mensagem:


"Será este o verdadeiro final de Valerie? 
Visite www.editoraid.com.br/agarotadacapavermelha 
e descubra!"


Aí o leitor, que acabou de ler 339 páginas, precisa entrar na internet, acessar o referido site, abrir o arquivo .pdf e ler o que eles chamaram de "capítulo-bônus". Sim, o verdadeiro e ÚNICO final do livro é chamado de "capítulo-bônus". No "capítulo-bônus" o leitor finalmente fica sabendo de todos os mistérios que cercaram-o durante toda a história. 

A meu ver a Editora ID não levou em consideração que muitos leitores aproveitam para ler quando estão fora do alcance da tecnologia. Como em uma viagem longa, na beira da praia, no ônibus, em um sítio, etc. E se o leitor termina o capítulo 29 em uma dessas situações? 

Eu achei a história muito interessante, daria cinco estrelas se não fosse essa palhaçada do final. Mas enfim, é um livro que vale a pena ler, mesmo que não seja para chamar de "favorito".