Caminho das Sombras - Brent Weeks

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

A maior decepção para um leitor é iniciar a leitura de uma obra e logo nas primeiras páginas perceber que ela não irá agradá-lo, a persistência sempre me leva a ler mais alguns capítulos, pois na maioria das vezes acabo me envolvendo pelo enredo e ficando curiosa para descobrir como termina. Entretanto, Caminho das Sombras não conseguiu me fisgar a esse ponto.


Para Durzo Blint, matar é uma arte... e ele é o artista mais talentoso da cidade. Temido por muitos, Durzo é uma lenda viva com as mãos manchadas de sangue e nenhuma culpa pelas vítimas que deixa pelo caminho.
Esse mundo sombrio também não é novidade para o jovem Azoth. Sobrevivendo entre becos sujos, ele aprendeu que a esperança é uma piada. Pelas regras das guildas, crianças são agredidas e surradas todos os dias.
Tentar contestar essa realidade seria um risco alto demais. Mas quando a morte se torna questão de tempo para ele e seus amigos, Azoth se vê forçado a vencer o medo e agarrar a chance de virar um derramador, um assassino. Ele precisa se tornar discípulo de Durzo Blint.
Para ser aceito, o garoto abandona sua antiga vida e abraça uma nova identidade. Ao se tornar Kylar Stern, ele aprenderá a transitar no mundo dos nobres, sobreviver às magias de seus inimigos e cultivar uma amizade muito especial: a da escuridão.


Azoth, Jarl e Menina-Boneca são três órfãos criados nas Tocas que integram a guilda comandada por Rato: um rapaz cruel que não mede esforços para aplicar castigos em quem o desafia ou deixa de pagar as taxas. O sonho de Azoth sempre foi sair das ruas e tornar-se aprendiz de Durzo Blint (o derramador mais famoso da cidade), porém o assassino não aceita alunos.

Após reagir a uma das provocações de Rato, Azoth passa a acreditar que será espancado até a morte, mas o que o líder da Dragão Negro faz é ainda pior. Ao não puni-lo, um sentimento de esperança é despertado entre as crianças e elas passam a ver Azoth como um possível novo líder. Mas por sua rebeldia, Jarl acaba sofrendo as consequências, e Menina-Boneca seria a próxima, e isso faz com que Azoth saia em busca de uma solução e acaba encontrando Blint em um beco. Depois de um breve diálogo com o derramador, o rapaz recebe uma missão que poderá mudar sua vida, caso a cumpra será aceito como aprendiz, caso fracasse trará muito sofrimento para si e seus amigos.

Durzo e Azoth

Felicidade? Eu só quero não sentir mais medo. Blint não sentia medo. As pessoas tinham medo dele. Sussurravam o nome dele com assombro.
Pág.: 66

Quando iniciei a leitura desse livro achei inevitável não compará-lo a Rangers – Ordem dos Arqueiros, a essência de ambos é muito parecida, mas a narrativa de Caminho das Sombras apresenta linguagem e conteúdo mais complexos, violentos e pesados. A escrita de Brent Weeks não me agradou, ele apresenta os fatos pelo ponto de vista de vários personagens, o que acabou me deixando confusa. Em alguns momentos foi preciso reler alguns capítulos para me situar melhor.

O protagonista possui onze anos, porém sua lealdade, persistência, coragem e esperteza chamaram minha atenção, em certos momentos o achava chatinho, mas logo em seguida ele me surpreendia com sua crescente maturidade. Durzo é misterioso e convencido, é descrito como um assassino hábil conhecedor de venenos e bom em lutas, vive atormentado por um erro do passado e isso interfere em sua personalidade atual.

Autor

- A vida é vazia. Quando tiramos uma vida, não estamos tirando nada de valor. Derramadores são matadores. É só isso que fazemos. É só isso que somos. Não há poesia no ofício da amargura – falou Durzo Blint.
Pág.: 68

Como já disse, essa história não me conquistou nem um pouco, após perceber que estava completamente perdida e sem entender quem era quem (muitos personagens possuem nomes parecidos) decidi que seria melhor abandoná-la e possivelmente dar uma nova chance em outro momento. Há um conflito interessante ocorrendo, porém não me senti tentada a querer desvendá-lo porque fiquei com aquela sensação de já ter lido/assistido algo parecido em outro lugar.

Minha decepção com a obra iniciou-se com a capa, não gostei da imagem e efeitos utilizados e com certeza este seria um dos últimos livros para o qual eu olharia em uma livraria. A diagramação é agradável aos olhos, as páginas são de tom amarelado, há um bom espaçamento entre as linhas e a fonte é de tamanho mediano. Como não terminei essa leitura, não posso opinar sobre o final, ou se a narrativa melhora. Recomendo que cada um leia para tirar as próprias conclusões, afinal, a obra pode ser maravilhosa para outra pessoa. 

A Profecia do Paladino - Mark Frost

Saudações, caros leitores, como vocês estão?
Pensem em um livro que você não daria nada por ele antes de ler. Esse foi o meu dilema com A Profecia do Paladino, um livro que busca mesclar thriller e fantasia e que em um primeiro momento não chama atenção, mas que me surpreendeu de várias formas. A história conta com alguns clichês, mas que são apresentados de uma forma que irá lhe envolver como se aquilo fosse algo novo e surpreendente. 



Um misterioso thriller do roteirista de Quarteto Fantástico e co-criador da série Twin Peaks. Will West faz de tudo para não chamar a atenção. A pedido dos pais, ele se esforça para tirar notas medíocres e não se destacar. Mas quando sua escola o obriga a fazer uma prova de desempenho geral, ele acaba se esquecendo de errar algumas respostas. Seu resultado espetacular atrai o interesse de uma das escolas particulares mais exclusivas do país, que o procura para oferecer uma bolsa de estudos. No entanto, assim que recebe essa oferta, começa a ser seguido por homens misteriosos e sedãs pretos. Ao tentar escapar de perseguidores, seus pais desaparecem e Will acaba se matriculando às pressas no misterioso colégio. Chegando à sua nova escola, ele percebe possuir talentos físicos e mentais que beiram o impossível e descobre que suas habilidades estão conectadas a uma batalha milenar entre forças épicas.



Nesta trama iremos conhecer Will West, um garoto que aos 15 anos precisa entender a necessidade de nunca chamar a atenção para si mesmo, ou seja, sem muito destaque na equipe de Cross Crountry e conquistando moderadas notas na escola. Apesar do bom relacionamento com os pais, ele tem que seguir uma extensa lista de regras elaborada por eles. Durante uma simples corrida, Will começa a perceber que algumas coisas estavam erradas, que um sedã preto e pessoas que ele denominou de "Boinas Pretas" estava perseguindo-o, e que vozes começaram a aparecer em sua mente. Como se só isso não bastasse, após se esquecer da principal regra de seus pais, ele acaba conseguindo um ótimo desempenho no teste geral do colégio, e acaba chamando a atenção de uma excêntrica escola, que segundo a Dra. Robbins, formou pessoas importantes, como alguns presidentes. 

Após perceber o quão estranha estava sua mãe e o repentino desaparecimento do pai, Will, sem ter em quem confiar, decide aceitar a proposta e ir "estudar" na misteriosa escola. E será nela que ele irá entender um pouco mais sobre suas habilidades, bem como conhecer Brookie, Nick, Ajay e Elise, que irão ajudá-lo a enfrentar novas e arriscadas aventuras. Com o inexplicável sumiço de seus pais, começa então uma busca por respostas.

Capa estadunidense.

O dia mais bizarro da minha vida, pensou. A Dra. Robbins aparece exatamente depois do sedã preto, do Prowler, e logo antes de a Belinda falsa. Mas se existe uma ligação entre tudo isso - e, de acordo com a Regra número 27, tem que ter -, onde é que ela está? A prova. Tinha que ser. E se a nota do menino tivesse disparado algum tipo de alarme que chamara a atenção de outras pessoas? Alguém cujo interesse nele não era nem de perto tão bom ou benigno quanto o do Centro?
Pág.: 39

É inegável dizer que A Profecia do Paladino tem um quê de jornada do herói, seguindo a mesma estrutura de outras sagas onde o protagonista começa a se dar conta de que é especial, que há algo de misterioso no seu passado e que seu destino é lutar contra o mal. Desta forma, é impossível não fazer associações a séries como Harry Potter e Percy Jackson. Não considero esse fato um problema, já que isso está tão recorrente que, para mim, virou uma prática comum entre os autores. Contudo, mesmo com seus clichês, a história consegue ser envolvente, seja pelas suas reviravoltas e forma como o autor soube evidenciar os perigos que o protagonista corre, seja pelo carisma de alguns personagens.

Apesar do livro conter muitas informações, principalmente no início, acredito que dificilmente o leitor irá se sentir perdido, já que o autor soube organizá-las de forma que não ficassem confusas, auxiliando também na interpretação. Além disso, é possível perceber que alguns capítulos são mais movimentados que os outros. O "grande incomodo" desta obra é o mesmo que venho percebendo em outros livros: a ausência de reações verdadeiras. O que estou querendo dizer é que não há um choque no protagonista com tudo que está acontecendo e, aparentemente, nem nas pessoas ao seu redor, por exemplo: Will usando seus poderes mentais logo nas primeiras páginas como se esses acontecimentos fossem rotineiros, ou seja, não há aquela surpresa de descobrir que possui algumas habilidades e a trajetória de aprendizado em como usá-las, ele simplesmente já sai usando como se a tivesse desde seu nascimento.

O livro é narrado em terceira pessoa, resultando em um considerável nível de detalhamento, como fora dito acima. Mark acertou ao optar por uma linguagem mais jovial e ao apostar em alguns toques de humor, influenciando na fluidez da leitura e no rápido envolvimento da história. Em alguns momentos é impossível não notar algumas homenagens e elementos de jogos de RPG, o que possivelmente irá agradar os fãs desse tipo de jogo. Quanto aos personagens, digo que é possível amar uns e odiar outros, já que eles são dotados de caráter e personalidades fortes, como Ajay, que é inteligente, e Elise, que é um pouco irritante. 

Mark Frost¹
 
Parei de sonhar com ele assim que chegou aqui. Mas o risco que ele corria não havia desaparecido dos meus sonhos. Na verdade, conseguia percebê-lo ainda mais e mais próximo agora. Teria sido trazido como o menino, ou o perigo já estava aqui o tempo todo, apenas aguardando? Era para o garoto estar a salvo aqui. A escola tem seus recursos. Será que eu devia contar a ele o que sei? Talvez ele nunca tenha tido a chance de aprender nada disso. Será que ajudaria? Como posso ter certeza de que contar não vai piorar ainda mais a situação? Dormir está se tornando impossível.
Pág.: 249

Apesar dos seus problemas, A Profecia do Paladino me surpreendeu justamente pela forma como o autor usou e conseguiu tirar proveito dos clichês, sem deixá-los irritantes, resultando em uma história envolvente que mistura ação, aventura e muito mistério. Além disso, digo que há um equilíbrio entre as partes mais movimentadas e aquelas desprovidas de ação, e que a organização das informações não tornou a leitura cansativa.

A diagramação está simples, com um ótimo espaçamento entrelinhas e um tamanho de fonte agradável. Já na edição contamos com páginas amareladas, títulos em alto relevo em sua bela capa. Quanto a revisão, não encontrei erros aparentes. Confesso estar ansioso para ler o próximo volume!

¹ Mark Frost é co-criador da série Twin Pearks e roteirista dos filmes do Quarteto Fantástico (2005/2007).

Sorteio Trono de Vidro: Rainha das Sombras - Sarah J. Maas

Hey pessoal, tudo bem?

Quer levar para casa um exemplar desse livro maravilhoso? Para concorrer é simples, basta preencher a primeira entrada, que é LIVRE, e você já está participando. Contudo, caso queira mais chances de ganhar, assim que a referida entrada for preenchida, as EXTRAS serão liberadas e algumas delas podem ser usadas todo dia, ou seja, muito mais chances para você!

A opção "tweet about the giveaway/ tweetar uma mensagem" é renovada a cada 24 horas, ou seja, todo dia que você tweetar a frase e preencher essa entrada, seu nome será adicionado mais vezes.

Qualquer dúvida quanto ao uso do formulário basta entrar em contato pelos comentários ou pela aba de "Contato" no menu do blog.

OBS: O formulário do Rafflecopter sofreu alterações nas entradas EXTRAS para curtir a página no Facebook. Para que tal entrada seja validada, é necessário CURTIR a página, e não só visitá-la como manda o formulário.

a Rafflecopter giveaway
Importante

  1. O ganhador deverá responder ao e-mail que mandarmos em até 48 horas. Caso não o faça um novo sorteio será realizado.
  2. O livro será ENVIADO em até 30 dias úteis pela editora.
  3. O blog não se responsabiliza por danos ou extravios causados pelos Correios.
  4. Caso o ganhador forneça o endereço errado e o pacote retorne, o mesmo perderá o direito ao prêmio.
  5. O ganhador deve ser residente e domiciliado em território nacional.
  6. O ganhador que descumprir alguma das regras será desclassificado.

"Que a sorte esteja sempre a seu favor!!"

Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.

Jovens de Elite - Marie Lu

Hey pessoal, tudo bem?

Apesar de ter achado que Marie Lu consegue escrever muito melhor do que ela se propôs ao publicar Jovens de Elite, confesso que gostei muito da mitologia criada por ela nessa nova saga e estou ansioso para saber o que o destino nos aguarda, principalmente depois de um final tão impressionante.




Jovens de Elite é o primeiro de uma série de fantasia ambientada na era medieval e protagonizada por jovens que desenvolvem estranhas cicatrizes e poderes especiais ao sobreviverem a uma febre que dizimou boa parte da humanidade. Entre eles está Adelina, que, após se rebelar contra o destino imposto a ela por seu pai, encontra um novo lar na sociedade secreta Jovens de Elite, vista por alguns como um grupo de heróis, por outros como seres com poderes demoníacos. Heroína ou vilã? Num mundo perigoso no qual magia e política se chocam, Adelina descobre o lado sombrio de seu coração. Da mesma autora da aclamada trilogia Legend, Marie Lu, Jovens de Elite é o início de uma saga arrebatadora. Perfeita para fãs de histórias de fantasia medieval como Game of Thrones, com vilões dignos de Star Wars e X-Men. 




Há mais ou menos 10 anos um vírus se espalhou e vários jovens foram infectados por uma doença rara que deixou como sequelas muitas marcas e cicatrizes, ficando mais tarde conhecidos como malfettos. Contudo, essas não foram as únicas marcas que a doença deixou, muitos dos jovens desenvolveram habilidades especiais, e é com isso em mente que começamos a acompanhar a vida de Adelina, uma jovem de cabelos brancos que perdeu um olho durante a febre, e ganhou poderes além da imaginação humana. 

Não longe dali, várias pessoas com habilidades se reúnem para combater o sistema de governo que atualmente está sendo construído com o sangue dos malfettos, tais pessoas são chamadas de Jovens de Elite e dentre eles temos O Ceifador, um dos JdE com um poder mortal e uma organização secreta que promete ruir as bases daquele reinado. O destino de ambos estão entrelaçados, e o resultado irá mudar o status da balança de poder.  

 Adelina - Lobo Branco

Acho que ele está me levando embora deste lugar, mas não consigo me concentrar. Quando a escuridão vem, a última coisa que me lembro é a insígnia de prata em seu peitoral.
O símbolo de um punhal.

Pág.: 38

Gostei muito da ideia da autora de criar jovens com poderes em um mundo medieval, pois todos os livros que li de seres humanos com habilidades se passaram na atualidade, exceto por Graceling, mas no caso dessa segunda obra os poderes eram retratados de uma forma diferente. Contudo, não gostei muito da forma como a autora nos apresentou a história na primeira metade do livro. Sei que é um começo de série e o leitor precisa ser ambientado, mas penso que ela poderia ter sido mais dinâmica, perdi a conta do número de vezes que a protagonista narra um sonho que teve e achei essas partes bem desnecessárias. 

Os personagens são super bem construídos, e essa é uma das características mais marcantes da Marie Lu. Ela consegue fazer com que o leitor entre na pele dos personagens e faz com que os vejamos como se fossem reais e morassem na casa ao lado. Fiquei aflito em várias cenas quando eles estavam em apuros, bem como fiquei feliz junto com eles quando conseguiam alcançar algum objetivo. De todos, meus favoritos são Enzo e Gemma, especialmente ela, pois amei sua habilidade e as possibilidades que ele traz.

Um mundo medieval cheio de aventuras e mistérios.

Mesmo tendo achado a primeira metade meio lenta, a segunda é completamente alucinante e o final é de deixar o leitor com o queixo no chão. Jamais esperava que iria acontecer o que aconteceu (quem leu sabe do que estou falando #Chocado), e como se não bastasse, ainda temos um Epílogo que deixa várias perguntas no ar e faz com que fiquemos desesperado para colocar as mãos na continuação. Ainda bem que persisti na leitura e não abandonei a obra no começo, pois valeu cada minuto. 

A edição é simples, mas conta com uma ilustração de capa linda. O título em dourado e a espada representando a letra "i" dão um charme a mais para a obra. A diagramação é simples e os capítulos não são narrados somente por Adelina, por isso temos sempre o nome de quem está narrando em negrito e bem visível para que o leitor não fique perdido. Leitura recomendada!

Trono de Vidro: Rainha das Sombras - Sarah J. Maas

Hey pessoal, tudo bem?

Apesar de muita gente ter odiado o rumo que a história tomou desde a metade do terceiro livro da série, particularmente tenho este livro como o segundo melhor, perdendo apenas para o primeiro. Mostrando que ela não está para brincadeira, Aelin decide finalmente aceitar sua herança e coloca em prática seus planos para derrubar o Rei tirano de Adarlan. Fogo, gelo e trevas irão se encontrar no campo de batalha.

Todos que Celaena Sardothien amou lhe foram tirados. Mas finalmente chegou a hora da retribuição. A vingança promete ser tão dura quanto o aço da Espada de Orynth — a espada de seu pai. Finalmente Celaena retornou ao império; por justiça, para resgatar seu reino e confrontar as sombras do passado.A assassina está morta. Ela abraçou a identidade de Aelin Galathynius, rainha de Terrasen. Mas antes de reclamar o trono, precisa lutar. E ela vai lutar. Por seu primo, a Puta de Adarlan, o general do Norte... um guerreiro preparado para morrer por sua soberana; por seu amigo Dorian, um príncipe preso em uma inimaginável prisão; por seu povo, escravizado por um rei cruel e à espera do retorno triunfante de sua líder; por seu carranam e a libertação da magia.
Ao avançar em seu plano, no entanto, Aelin precisa tomar cuidado com velhos inimigos. E abrir o coração para novos e improváveis aliados. Tudo isso enquanto os valg continuam trabalhando nas sombras. E Manon Bico Negro, a Líder Alada das Treze, treina suas bestas voadoras. Mas é de Morath, a fortaleza montanhosa do Duque de Perrington, que uma ameaça como nenhuma outra promete destroçar seu grupo de rebeldes e sua corte recém-formada.

Após sua longa estadia no continente de Wendlyn, e de seu árduo treinamento com o Príncipe Rowan,  Celaena retorna para o continente de Adarlan, mas agora não somente como a campeã do Rei, pois finalmente decidiu abraçar sua herança e tudo que lhe é de direito, se identificando agora como Aelin Galathynius, herdeira do trono de Terrasen. Como se não bastassem todos os problemas envolvendo o atual Rei, ela ainda precisa lidar com os Rebeldes que estão atualmente sendo liderados por Chaol, com o fato de que Dorian agora está sob o domínio de um Príncipe Valg, com Arobynn, que é tido como o Rei dos Assassinos, e por último, mas não menos catastrófico, com o exercito alado que ocupa a fortaleza de Morath. Os tambores da guerra soam cada vez mais altos.
 
 Uma assassina de habilidades inigualáveis.

- Que droga você quer de nós?
- Sinceramente, não me importaria de ver os três estripados e pendurados dos lustres pelas vísceras, mas acho que isso destruiria esses lindos tapetes dos quais agora sou dona.
- Não pode simplesmente nos colocar para fora. O que faremos? Para onde iremos?
- Soube que o inferno é muito bonito nesta época do ano.
 Pág.: 388

De todos os livros da série, esse foi o que mais conseguiu me prender de forma que não me deixava pensar em mais nada senão no que estava acontecendo na história, tanto que li a obra (643 páginas) em menos de 48 horas. Contudo, devo dizer que as partes envolvendo as bruxas ainda são parcialmente desnecessárias. Havia comentado na resenha de Herdeira do Fogo que  essas partes não acresciam em nada na história e eram apenas enrolação por parte da autora, e o mesmo se repete nesse volume até mais ou menos a metade do livro. As bruxas só passam a representar um papel relevante para o enredo quando elas e o grupo de Aelin finalmente se encontram e suas histórias passam a depender uma da outra para montar o quebra-cabeça final. Fora isso, a narrativa de Sarah continua impecável e envolvente como sempre, principalmente as cenas envolvendo o jogo de gato e rato que Aelin faz com o Rei dos Assassinos.

Os personagens evoluíram muito e isso contribuiu diretamente para o sucesso da obra, contudo, Chaol parece ser outro personagem. Entendo que após os acontecimentos finais do livro anterior ele ficaria marcado para sempre, mas jamais pensei que um guerreiro habilidoso e feroz como Chaol iria ficar remoendo o passado igual um garoto de 13 anos que não conseguiu que as coisas saíssem do jeito que ele queria. Por outro lado, temos o acréscimo de Lysandra e Nesryn, duas personagens fortes e que desempenham um papel determinante no desenrolar da história, cada uma em seu núcleo e à sua maneira.
 
 Ela queimará todos aqueles que feriram seu povo.

O final foi simplesmente alucinante. Jamais sequer cogitei que o verdadeiro vilão por traz de tudo seria aquela pessoa (quem leu sabe de quem estou falando). Maas conseguiu me deixar atônito e desesperado ao mesmo tempo. Estou desolado com o fato de que o quinto livro só será publicado nos EUA em setembro desse ano, sem falar que ainda haverá o período de tradução e publicação aqui no Brasil T_T. Não vejo a hora de colocar as mãos nele.

A edição está linda como sempre. Dessa vez temos Aelin/Celaena na capa desembainhando uma espada linda e usando sua roupa de batalha, e ao fundo temos o branco padrão com tons de azul e o título em tinta prateada. A diagramação do livro está bem simples, mas pelo menos contamos com um mapa bem detalhado do reino logo no começo. Não encontrei nenhum erro de revisão aparente. Se você ainda não leu nenhum livro dessa série, está esperando o que? ;)

O Livro de Marcar Filmes - Increasy

Hey pessoal, tudo bem?

É um pouco difícil resenhar um livro que não possui uma história propriamente dita, mas isso não exclui o fato de que Livro de Marcar Filmes é uma excelente obra destinada a todos os amantes de cinema. Contendo listas com indicações que vão desde os ganhadores do Oscar de Melhor Filme, até os vencedores do Festival de Gramado, esse livro promete fazer o cinéfilo de plantão sair da zona de conforto e experimentar novas produções, bem como manter um diário minuciosos sobre o que já assistiu e o que pretende assistir.






Um lugar para anotar os filmes a que assistiu em diversas categorias, aqueles que conquistaram o seu coração e os que ainda quer ver, enquanto descobre os premiados, que nenhum cinéfilo pode deixar passar.









O livro começa com com alguns campos em aberto para que você preencha a sua vida de cinéfilo até o momento, ou seja, espaços para que você liste o primeiro filme que se lembra ter visto, filmes que marcaram sua adolescência, seu personagem favorito de todos os tempos, um filme que você nunca vai se cansar de rever, etc. Em seguida temos várias listas com indicações das mais variadas, sejam ganhadores do Oscar, sejam filmes que ganharam a Palma de Ouro ou o Festival de Gramado. Mais adiante o livro se torna um diário propriamente dito, onde encontramos espaços para preencher com as obras que vimos recentemente, qual nota damos a elas, quando assistimos, comentários sobre, etc. Um prato cheio para quem gosta de passar horas na frente da telona. 


Apesar de ter adorado a ideia do livro, creio que ele poderia trazer dicas de filmes mais recentes. Claro que para quem ama cinema a idade do filme não importa, o que importa é que ele seja bom, mas muitas das indicações são de antes do meu nascimento (1992), alguns deles em preto e branco, e isso não desperta muito meu interesse, afinal, sou um grande amante dos efeitos especiais da atualidade.

Gostei muito da diagramação da obra. Ficou tudo muito bem organizado e agradável aos olhos: temos comentários da equipe que organizou a obra sobre curiosidades do mundo cinematográfico (particularmente gostei da parte sobre os dragões de Harry Potter ^_^), bem como várias ilustrações de claquetes e demais objetos temáticos sobre o cinema. 


No mais, O Livro de Marcar Filmes é feito por amantes de cinema para amantes de cinema. Ainda nem consegui ver metade das indicações, ou sequer preenchi metade do livro, e já posso afirmar que não irei me arrepender de passar horas escrevendo sobre os filmes que já vi ou pretendo ver. Recomendo obra para todos aqueles que amam passar horas contemplando as belezas da sétima arte.

Exposição - O Mundo de Tim Burton

Olá Vintagers, como vão?

Hoje venho trazer a vocês algo que foge um pouco ao universo das resenhas literárias. Recentemente tive a oportunidade de realizar um sonho que me acompanha desde a infância, que foi conhecer bem de pertinho as obras do famoso escritor e diretor Tim Burton.

OBS: Infelizmente a assessoria do Tim não permite que a exposição seja fotografada devido aos direitos autorais, em função disso utilizei fotos tiradas em áreas permitidas pela curadoria do museu e imagens da internet com alguns elementos da exposição.

Minha história com o diretor é de longa data, vou tentar ser breve para que vocês entendam como as obras dele me influenciam tanto: Quando tinha aproximadamente cinco anos assisti a um filme chamado James e o Pêssego Gigante, filme que me deixou intrigada tanto pelo cenário diferente e bizarro, quanto pelas criaturas estranhas que eu adorei. 

Depois desse primeiro contato com o universo de Burton, por mais ou menos um ano não deixei minha mãe sossegada. Sempre pedia a ela que alugasse (sim, sou dessa época rsrs) o filme para que eu pudesse assistir umas oito vezes seguidas. Logo depois eu conheci a menina dos meus olhos, O Estranho Mundo de Jack, filme que foi e sempre será o meu Best Movie Ever. Sou apaixonada por tudo: figurino, personagens, história. Daí em diante a admiração foi crescendo cada vez mais, e a cada filme do Tim que eu via era como descobrir novas sensações.

Pensem em uma pessoa feliz *__*

No ano passado, quando vi a página Catraca Livre postando que a Exposição O Mundo de Tim Burton – antes em Melbourne, Toronto, Los Angeles, Paris e Seul – viria em 2016 para o Brasil, em São Paulo, eu sabia que essa era a minha chance de conhecer de perto todo o processo de criação do diretor e, depois de dias (a concorrência é enorme e é necessário paciência em dobro para conseguir comprar pela internet) tentando comprar um ingresso, finalmente consegui. A partir desse momento eu sabia que estava com o pezinho lá dentro, era tanta felicidade que dava vontade de dançar.

A exposição, que se encontra no MIS – Museu da Imagem e Som, foi toda planejada e supervisionada pelo próprio TB, lá é possível encontrar fragmentos íntimos do diretor, como os esboços que ele fez nos guardanapos de restaurantes e hotéis ao redor do mundo. Com a exposição, tive a certeza que ele é uma alma muito além deste mundo, sua capacidade de entender e interpretar as coisas é fantástica, tudo isso devido à sua imaginação que vai além do imaginável para pessoas como nós.


Comecei a minha jornada entrando pela boca de um dos personagens do Tim, e em seguida conheci algumas pinturas bizarras que me remeteram bastante ao seu estilo impressionista. Durante todas as salas fui apresentada às várias facetas do diretor, que vai do pintor ao escritor e ao fotógrafo. Fiquei mais empolgada ainda ao saber que ele se inspira em Edgar Allan Poe e Dr. Seuss, dois grandes escritores que eu admiro bastante.


Mais a diante fui conhecendo vários ambientes que remetem às emoções e etapas da vida de Burton: Terror, tristeza, humor, felicidade, melancolia. E, além dos trabalhos produzidos para o cinema, tive a oportunidade de conhecer também os projetos não finalizados do diretor que, por algum contratempo, não foram terminados, estes tão perfeitamente bizarros quanto os outros. Uma atenção em especial para as esculturas dos personagens, tão perfeitas que parece que estamos dentro das histórias e contracenando com os personagens. A escultura da Noiva Cadáver e do Victor van Dort fizeram meus olhos marejarem de tanta emoção com os detalhes e perfeição.

Escultura feita por Edward Mãos de Tesoura

Essa foi uma das melhores experiências da minha vida, pois é tão bom quando nos sentimos próximos de quem admiramos, ao ficar ali horas olhando encantada os trabalhos do Tim Burton, indiretamente me senti próxima ao diretor, pois ele se tornou acessível a mim. Até uma “simples” carta escrita a ninguém menos do que Johnny Deep (meu amor platônico, não me culpem) me fez quase desmaiar. A exposição é fantástica em todos os sentidos, mesmo para você que não é tão fã, eu tenho certeza que vai se divertir bastante com todos os elementos e, para você que é fã número 1 como eu, não deixe de sentir essa emoção e viver esse momento tão mágico e único.

Por hoje é só, queridos Vintagers! Espero que tenham gostado e, se já foram à exposição, não deixem de me contar a experiência de vocês, vamos dividir esse momento!


Rock Kisses e até a próxima.

Li Até a Página 100 e... #17 - Jovens de Elite, Marie Lu

Hey pessoal, tudo bem?

Esse post foi criado pelo blog Eu Li Eu Conto e consiste em pegar a página 100 de nossa leitura atual e dizer o que estamos achando ao responder algumas perguntas sobre a obra. O livro da vez é:


Primeira Frase da Página 100:

Só posso imaginar o que os Jovens de Elite que estão por aí e os que ainda não foram descobertos podem fazer, além daqueles da Sociedade dos Punhas e dos que sei que existem.

Do Que Se Trata o Livro?
Sinopse: Jovens de Elite é o primeiro de uma série de fantasia ambientada na era medieval e protagonizada por jovens que desenvolvem estranhas cicatrizes e poderes especiais ao sobreviverem a uma febre que dizimou boa parte da humanidade. Entre eles está Adelina, que, após se rebelar contra o destino imposto a ela por seu pai, encontra um novo lar na sociedade secreta Jovens de Elite, vista por alguns como um grupo de heróis, por outros como seres com poderes demoníacos. Heroína ou vilã? Num mundo perigoso no qual magia e política se chocam, Adelina descobre o lado sombrio de seu coração. Da mesma autora da aclamada trilogia Legend, Marie Lu, Jovens de Elite é o início de uma saga arrebatadora. Perfeita para fãs de histórias de fantasia medieval como Game of Thrones, com vilões dignos de Star Wars e X-Men.

O Que Está Achando Até Agora?
A premissa é muito envolvente e alguns personagens são muito cativantes, mas confesso que esperava um pouco mais do livro. Sou apaixonado pela série Legend, que é da mesma autora, e não estou conseguindo sentir aquela emoção tão característica na escrita da Marie Lu quando leio Jovens de Elite.

O Que está Achando do Personagem Principal?
Inicialmente estou achando ela um pouco sem graça. Ela fica dando uma de coitada por tudo que sofreu ao longo da vida e é facilmente manipulável. Sem falar que algumas das atitudes dela são bem imaturas. Espero que mude ao longo da narrativa.

Melhor Quote Até Agora:

Acho que ele está me levando embora deste lugar, mas não consigo me concentrar. Quando a escuridão vem, a última coisa que me lembro é a insígnia de prata em seu peitoral.
O símbolo de um punhal.
Pág.: 38

Vai Continuar Lendo?
Sim. Mesmo a obra não sendo tão boa quanto Legend, ela tem suas qualidade e é bem desenvolvida. Só espero não me decepcionar.

Última Frase da Página:

Todos têm a escuridão dentro de si, por mais escondida que seja.

Vamos Juntas? - Babi Souza

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Fico feliz por poder dividir com vocês a sensação maravilhosa que senti após ler Vamos Juntas?. Antes de iniciar a resenha gostaria de fazer um pedido para as meninas que estão pensando em adquirir um exemplar: Este livro não foi feito para enfeitar estantes! Caso o compre, empreste para suas amigas, tias, vizinhas, e sinta orgulho dele retornar um pouco “surradinho”, pois ao compartilhá-lo você estará espalhando uma mensagem capaz de mudar a vida de alguém.


Toda mulher já se sentiu insegura na hora de sair sozinha na rua. O risco de ser abordada, perseguida ou assediada é uma realidade. Mas, um dia, uma moça chamada Babi Souza teve uma ideia simples e revolucionária: da próxima vez em que você estiver sozinha, olhe para os lados. Pode ter outra mulher andando na mesma direção. Por que não vão juntas?
Logo, o movimento Vamos Juntas? conquistou moças em todo o Brasil, se tornando um símbolo de união feminina e feminismo, na defesa por direitos iguais entre homens e mulheres. Aos poucos, muitas mulheres mudaram sua forma de enxergar o dia a dia e a moça ao lado.
Além de dados sobre o feminismo, que mostram como ainda há tanto a ser conquistado, este guia traz relatos de mulheres que aprenderam, junto ao Vamos Juntas?, a enxergar companheiras umas nas outras. A se unir, ao invés de rivalizar.



Este guia retrata como o movimento Vamos Juntas? teve início, a história é muito interessante, e diversas mulheres irão se identificar com o que ocorreu com a jornalista Babi Souza. Após encerrar o expediente a única coisa que ela queria era chegar segura em casa, contudo, para isso ela teria que caminhar sozinha até o primeiro ponto de ônibus, descer e andar por uma praça deserta até o local onde pegaria outro coletivo, uma trajetória perigosa para uma mulher desacompanhada. Ao embarcar no transporte ela percebeu que boa parte das mulheres que estavam nele havia percorrido o mesmo caminho arriscado, e nesse instante pensou que se todas tivessem ido juntas não teriam sentido tanto medo.

A iniciativa começou com um card que fez muito sucesso nas redes sociais, em poucas horas a página Vamos Juntas? já havia conquistado várias curtidas e a admiração e confiança de mulheres que passaram por momentos de medo, aflição, assédio e até mesmo outras situações mais perturbadoras. Todas enxergaram no movimento o conforto de que não estão sozinhas e muitas passaram a usá-lo para compartilhar suas histórias.

Juntas somos mais poderosas !

Se você não conhecia a sororidade e nunca percebeu como ela faz falta na sua vida, prepare-se: a partir de agora vai começar a observá-la. No início, pode ser desesperador, mas lembre-se: é o momento de fazermos diferente. Quando se deixa de andar na rua ao lado de outra mulher que pode estar se sentindo tão insegura quanto você, a sororidade faz falta. E esse é apenas um exemplo, e dos mais grosseiros.
Pág.:45

A ideia do Vamos Juntas? é promover a Sororidade, apesar dessa palavra ainda não fazer parte do dicionário da língua portuguesa, seu significado deve ser difundido:

1. Grupo de irmãs.
2. Reunião entre mulheres que se reconhecem irmãs formando um grupo político e ético na luta pelo feminismo contemporâneo.

Uma das frases mais interessantes que li nesse livro dizia o seguinte: Sororidade não é amar todas as mulheres, e sim não odiar alguém só por ser mulher. Isso me fez refletir, quantas vezes criticamos outras moças apenas por não gostar do seu estilo, não nos identificarmos com seus pensamentos ou simplesmente por tomar antipatia a primeira vista? Pelo menos uma vez na vida todas nós já fizemos isso. À medida que fui lendo acabei percebendo que precisamos espalhar a sororidade para fortalecer nossos direitos, não somos inimigas, os assédios, a objetificação feminina, a desigualdade e o machismo são malefícios que atingem todas nós e devemos nos unir contra isso, e não umas contra as outras, acreditando que somos culpadas pela violência que nos rodeia.

Se não for amizade, vira. Se já for, fortifica.

Você lembra da primeira vez que foi assediada na rua? Provavelmente era criança e não entendeu direito o que estava acontecendo. Outras tantas viriam antes mesmo de você se considerar adulta. E passamos a acreditar que isso é normal e que precisamos aceitar ainda que nos machuque, afinal, eles “são homens” e “homens são assim”.
Mas não, nada disso é normal. Nada disso é aceitável. E precisamos desenvolver a nossa segurança e autoestima, recuperando a posse sobre a nossa própria vida. O nome disso é EMPODERAMENTO.
Pág.: 94

A ideia de tentar acompanhar outra mulher em locais perigosos é algo maravilhoso que deveria ser praticado por todas nós. Por diversas vezes fui amparada por moças na rua, muitas não sabem a importância que aquele gesto teve, outras só estavam com tanto medo quanto eu de andarem sozinhas. Algumas delas podiam estar apenas sendo caridosas com uma jovem perdida no centro de BH, mas a todas elas sou muito grata, e agora que sei o que é sororidade acredito que será muito mais fácil não ter vergonha de chamar uma desconhecida para me acompanhar até um ponto de ônibus mais seguro, afinal, se todas nos unirmos ficaremos mais seguras.

A capa é a identidade visual da página, caso ainda não a tenha curtido sugiro que acesse clicando aqui e dê um like para poder acompanhar as diversas histórias publicadas. A diagramação da obra está impecável, o livro conta com ilustrações super fofas, cards para recortar, fontes grandes e belíssimas, e páginas brancas. Não encontrei erros de revisão. Este livro é puro amor, leitura obrigatória para TODAS as mulheres.*___*

Star Wars: Cuidado com o Lado Sombrio da Força - Tom Angleberger

Saudações, caros leitores, como vocês estão?

Há muito tempo, numa galáxia muito, muito distante, a Editora Seguinte lançava a romantização dos clássicos filmes de Star Wars em edições ilustradas que iriam recontar as histórias escritas por George Lucas de uma forma que você jamais viu. Desta forma, Cuidado com o Lado Negro da Força! é o terceiro e último livro dessas trilogia que contemplou as tramas de Uma Nova EsperançaO Império Contra-Ataca e O Retorno de Jedi



O terrível Império está construindo uma segunda Estrela da Morte para acabar com a Aliança Rebelde. Mas Luke Skywalker tem outros planos: destruir o governo e deter o imperador de uma vez por todas. No entanto, há um obstáculo no caminho de Luke: seu pai. Esta é uma versão de Star Wars: O retorno de Jedi (episódio VI) como você nunca viu. A edição vem acompanhada de ilustrações incríveis e apresenta a história original a uma nova geração de leitores, assim como fornece uma perspectiva inédita para os fiéis fãs da saga. Ao longo da história, os leitores encontrarão diversas notas de rodapé com curiosidades e comentários sobre esse universo extraordinário, tornando a jornada até o confronto final entre Luke e Darth Vader ainda mais emocionante.




Cuidado com o Lado Negro da Força! é a romantização da trama apresentada em O Retorno de Jedi, também conhecido como Episódio VI, que estreou nos cinemas em 1983. No final de O Império Contra-Ataca vimos que Han Solo foi aprisionado por Darth Vader em carbonite, mantendo o corpo do capitão congelado, porém, vivo para ser entregue à Boba Fett e posteriormente à Jabba, o Hutt, em troca de um alto prêmio. Após as falhas negociações, Luke Skywalker e Lando Calrissian produzem um conflituoso resgate aos seus amigos Chewie, Leia, Han e os droides R2-D2 e C-3PO.

Após estes acontecimentos, os Rebeldes chegaram à conclusão que a única forma de "derrotar" as forças imperais seria destruindo a nova Estrela da Morte, que ainda estava em fase de construção e seria mais potente que a original, destruída em Um Nova Esperança por Luke Skywalker. Observando essa possibilidade, o Imperador tenta seduzir, através de Darth Vader, o jovem para o lado sombrio da Força. 

Banner de divulgação do filme.

As peças do jogo estão posicionadas. Será que foi confiante demais? Será que os riscos são muito altos até mesmo para um Jedi? Ele é mesmo um Jedi agora?
Pág.: 93

Como já devem ter percebido, cada livro desta trilogia foi escrito por uma pessoa diferente, proporcionando estilos narrativos diferenciados entre eles, além de apresentar novas perspectivas às histórias. Desta forma, acredito que Tom Angleberger foi o escritor que mais captou e transmitiu esses princípios, já que no decorrer da leitura foi possível perceber grande fidelidade ao material fonte, porém, com novos olhares e alguns trechos inéditos sem dar outro sentido à trama original. A narrativa é feita em terceira pessoa e em um formato que possibilita o diálogo do autor com o leitor durante o desenvolvimento, mas sem exagerar na informalidade.

Sabemos o quão é complicado apresentar um material cultural relativamente antigo às novas gerações. E, ao mesmo tempo que isso pode se tornar um empecilho, essa é uma das grandes propostas desta trilogia. A linguagem deste livro é jovial, uma vez que seu público alvo são os jovens dessa geração. Apesar disso, o tom da história é sério, mas sem perder o característico humor dos personagens e na já citada interação entre autor-leitor. O fato da obra contar com meros 74 capítulos (curtos) pode incomodar alguns e agradar outros. Além disso, há notas de rodapé que auxiliam àqueles leitores mais esquecidos e trazem informações sobre determinado personagem ou acontecimento e também curiosidades referentes à trama.

O autor soube equilibrar o lado emotivo da história, como nos trechos onde Luke interage com Darth Vader, pois como ficamos sabendo no decorrer de O Império Contra-Ataca, essa é uma relação entre pai e filho que se encontram em campos opostos. Além disso, Tom consegue dar personalidade e vida aos personagens, sem ficar aquela sensação de que há algo "vazio" e/ou faltando. Em consequência, é bem provável que você vá sentir ódio, compaixão, alegria ou criar alguma empatia por algum deles.

Autor

Ele se pergunta por que lembrou disso. E por que lembrar de qualquer coisa do passado, afinal?
Esse era o passado de Anakin, não o dele. O passado estava morto... completamente. Exceto por um erro: seu filho.
E agora, finalmente está prestes a corrigir esse erro, trazendo Luke para o lado sombrio. E se não pudesse fazer isso, então eliminaria o erro completamente.
Pág.: 210

Cuidado com o Lado Negro da Força! é o livro mais volumoso e o que mais apresenta ilustrações no decorrer da leitura, bem como o que mais conseguiu transmitir o espírito de Star Wars. Enfim, sinto-me satisfeito por ter lido essa trilogia, pois é sempre interessante ver as histórias por novas perspectivas, além de ser nostálgico relembrá-las. Deixo a minha recomendação não só a este, mas aos outros volumes também. Sugiro que leiam na ordem de lançamento e não aleatoriamente. 

A diagramação está muito bem feita e conta com um ótimo espaçamento entre linhas e um tamanho de fonte agradável. Na edição contamos com páginas brancas, o que pode incomodar leitores mais exigentes, além de conter belas ilustrações feitas por Ralph McQuarrie e Joe Johnston, e uma capa mostrando a silhueta do Darth Vader. Não encontrei erros de revisão aparentes.