Mundo Novo - Chris Weitz

Hey pessoal, tudo bem? 

Há algum tempo que já cobiçava um exemplar de Mundo Novo e o motivo era sua premissa instigante e uma capa linda com cores fortes. Contudo, a leitura não foi agradável e a obra se mostrou mais uma história de romance adolescente recheado de clichês, e não o grande apocalipse que promete. 


Neste mundo novo, só restaram os adolescentes e a sobrevivência da humanidade está em suas mãos.
Imagine uma Nova York em que animais selvagens vivem soltos no Central Park, a Grand Central Station virou um enorme mercado e há gangues inimigas por toda a parte. É nesse cenário que vivem Jeff e Donna, dois jovens sobreviventes da propagação de um vírus que dizimou toda a humanidade, menos os adolescentes.
Forçados a deixar para trás a segurança de sua tribo para encontrar pistas que possam trazer respostas sobre o que aconteceu, Jeff, Donna e mais três amigos terão de desbravar um mundo totalmente novo. Enquanto isso, Jeff tenta criar coragem para se declarar para Donna, e a garota luta para entender seus próprios sentimentos - afinal, conforme os dias passam, a adolescência vai ficando para trás e a Doença está cada vez mais próxima.



Um vírus mortal, relacionado com a produção de hormônios no organismo humano, erradicou toda a população adulta e infantil do planeta, deixando apenas os adolescentes de até 18 anos sem serem infectados. Contudo, ao atingir tal idade, eles começam a apresentar os sintomas e acabam morrendo e é assim que é dado o pontapé inicial da história, com a morte do irmão de um dos protagonistas e a busca do irmão sobrevivente pela cura para a doença para salvar seus amigos e aquela que ama. O título Novo Mundo se relaciona realmente a um novo mundo criado após a morte de tanta gente. O planeta se dividiu em facções cujo único objetivo é a sobrevivência. 

Bem-vindo ao Mundo Novo
UM BOM LIVRO É O SANGUE PRECIOSO DE VIDA
DE UM ESPÍRITO MESTRE, CONSERVADO E GUARDADO
COM O PROPÓSITO DE UMA VIDA PARA ALÉM DA VIDA
Pág.: 76

A narrativa é feita sob dois pontos de vista, o de Jeff e o de Donna. Ele é o típico cara nerd que herdou de seu irmão o título de líder de sua tribo e deve fazer de tudo para encontrar uma cura para a doença, mas gasta a maior parte do seu tempo se remoendo por não conseguir se declarar para Donna, dizer que a ama e todo aquele blá blá blá clichê de adolescente que estamos tão acostumados a ver em Malhação. Donna me agradou, e muito. Sua personalidade é ímpar e a maneira como ela narra a história de maneira irônica e sarcástica faz com que o leitor simpatize com sua trajetória e torça por ela no final. Sem contar que ela é uma sniper muito talentosa.

O mundo criado por Chris Weitz é rico em detalhes e muito bem construído, contudo, o que decepciona na obra é que o foco do autor não é no apocalipse em si, mas sim a história entre Donna e Jeff, e toda aquele esquema: Garoto é apaixonado pela garota mas não tem coragem de se declarar > garoto se declara para garota > garota fala que são amigos e que nunca pensou nele assim > garota percebe que o amor estava sempre do seu lado. É basicamente isso que acontece no livro todo, ficando o apocalipse - Donna o apelidou de Poca - como mero plano de fundo. As vezes os pensamentos dos personagens estão tão focados um no outro e no quanto querem estar juntos ou com ciúmes que esquecemos algumas vezes que o mundo está acabando. 

Um vírus foi capaz de acabar com o mundo como o conhecemos. Que o apocalipse comece!
Então. Meia hora atrás eu estava bebendo com Minifu e Peter, em um episódio de, tipo, Gossip Girl Pós-Apocalipse. Agora, pela terceira vez em poucos dias, estou sendo caçada por assassinos psicopatas.
É um ótimo treino aeróbico. Mas, de modo geral, fugir de canibais, hippies enfurecidos e atletas com metralhadoras não é minha praia.
Pág.: 181

O final foi meio forçado e inconclusivo, o que pode ter sido proposital para uma possível sequência. As mortes deram a impressão de que o autor usou alguns personagens para alcançar um determinado objetivo e quando ele não precisava mais deles ele os matava de uma forma qualquer, não dando credibilidade para as cenas, o que é estranho vez que o autor é renomado por ter dirigido e escrito o roteiro de A Bussola de Ouro e Crepúsculo: Lua Nova, e lá conseguiu, mesmo em um mundo cheio de criaturas fantásticas, convencer o leitor com veracidade das mortes presentes.  

A edição está linda. A capa é de um tom laranja forte, possui o título escrito como se fosse uma pichação em um muro e ilustrações em preto e branco dos personagens da obra, cada um com um estilo bem próprio e diversificado. A revisão está impecável, as folhas são amareladas e os capítulos possuem fontes diferentes, uma que simboliza a narrativa sob o ponto de vista de Jeff e uma outra para demonstrar que é Donna quem está narrando. As referências à cultura pop são um ponto positivo na obra, mas não o suficiente para ofuscar os demais problemas na história. 

Vale lembrar que essa é minha opinião pessoal e que, apesar de não recomendar a leitura, muitos blogueiros gostaram da obra e recomendam. Fica a critério de cada um ler ou não ^_^.

Promoção de Aniversário TCMM - 12 Livros e 4 Ganhadores


Hoje o Blog TCMM - Todas as coisas do meu mundo comemora 03 aninhos de existência e nós, amigos, também iremos comemorar!

São 12 livros para 4 vencedores, confiram as regras e não fique de fora dessa festa!


Regras:

Deixar um comentário nesta postagem com e-mail válido (regra obrigatória);
São 4 livros por ganhador, sendo que o primeiro sorteado escolherá primeiro, o segundo após, depois o terceiro e o quarto sorteado ficarão com os demais livros;
Todas as chances sorteadas serão verificadas, portanto, perfis fakes ou ausência de preenchimento/cumprimento da chance, a pessoa será automaticamente desclassificada, sem prévio aviso e novo ganhador será sorteado;


Importante

  1. O ganhador deverá responder ao e-mail que mandarmos em até 48 horas. Caso não o faça um novo sorteio será realizado.
  2. O livro será ENVIADO em até 45 dias úteis pelo blog que o disponibilizou.
  3. O blog não se responsabiliza por danos ou extravios causados pelos Correios.
  4. Caso o ganhador forneça o endereço errado e o pacote retorne, o mesmo perderá o direito ao prêmio.
  5. O ganhador deve ser residente e domiciliado em território nacional.
  6. O ganhador que descumprir alguma das regras será desclassificado.

"Que a sorte esteja sempre a seu favor!!"

Parceria Editora Gente/Única


Hey pessoal, tudo bem?

É com muita felicidade que informo que agora o Vida de Leitor faz parte do rol de parceiros da Editora Gente e Editora Única (selo responsável pela publicação de livros de ficção). Que 2015 traga muito sucesso para todos nós ^_^. Confira abaixo alguns dos principais lançamentos das editoras:














Confira mais sobre a editora no seu Site, Twitter e Facebook.


Resenha Premiada: 13 Incidentes Suspeitos - Lemony Snicket


Hey pessoal, tudo bem?

Hoje trago para vocês a resenha e indicação de leitura dos contos do Lemony Snicket, 13 Incidentes Suspeitos, que é uma compilação de pequenos casos solucionados pelo jovem detetive, homônimo do autor, dentro do universo da série Só Perguntas Erradas. Vale lembrar que não é necessário ter lido os livros da série para ler este, vez que são casos independentes e o autor dá explicações mais que satisfatória sobre os personagens e cenários. 



A peculiar cidade de Manchado-pelo-Mar é palco de muitos eventos estranhos e é lá que o jovem Lemony Snicket - famoso solucionador de mistérios - tenta resolver seu primeiro grande caso, relatado em detalhes na série Só Perguntas Erradas.
Mas os mistérios se sucedem, e o detetive mirim agora terá de descobrir por que quadros caem sozinhos das paredes, quem roubaria um tritão amarantino, como é possível que um fantasma passeie pelo cais à meia-noite e quem faz parte da famigerada Gangue do Tijolão, entre vários outros enigmas. Lemony Snicket precisará juntar pistas e interrogar testemunhas para desvendar cada caso.
Os leitores se tornam membros da organização secreta de Snicket e também participam da investigação: o desafio será resolver os casos antes de ler as soluções, reveladas no final do livro.




A sinopse já explica do que se trata o livro, por isso vou pular a parte do resumo, vez que resumir cada conto iria acabar com a graça da obra. Contudo, incidentes como Demônio da Meia-Noite e Trabalho Interno se destacaram pela maneira como o autor conduziu a conclusão de cada caso. No primeiro temos uma mulher que procura os serviços do jovem Snicket pois o casamento arranjado de sua filha está em risco por causa de uma suposta assombração. Já no segundo tem-se a misteriosa história dos quadros que sempre apareciam no chão, como se um fantasma os estivesse colocando lá. 

O que fez tais contos se destacarem tanto foi o fato de não ter conseguido acertar nenhuma das possibilidades de solução. Confuso? Deixe-me explicar: o livro é dividido em duas partes, na primeira são apresentados os casos e na segunda somente as conclusões de cada um deles. Penso que a intensão do autor era justamente dar pistas para o leitor tentar desvendar os incidentes por si só, e somente após cogitar todas as possibilidades, ler a conclusão para saber se estava certo ou não. 

Versão animada da capa. 

- Eles disseram que você é corajoso.
- Corajoso é como chamam você até que as coisas não deem mais certo - eu disse. - Aí chamam você de derrotado. Mas você não quer ouvir minha história. Quer contar a sua. 
Pág. 39

Os personagens continuam os mesmos. S. Theodora continua chata e nós continuamos sem saber o que significa o S. em seu nome, Snicket ainda é um jovem muito inteligente e capaz de grandes proezas e Moxie continua com sua maleta/maquina de escrever em busca de história mirabolantes. O que mudam são os cenários, pois, apesar de estarem em Manchado-Pelo-Mar, algumas localidades não estavam presentes na série original, o que é um acréscimo para o mundo do autor. 

A edição segue o mesmo padrão dos livros da série, uma capa interna desenhada com figuras coloridas em preto e branco, imagens ilustrativas espalhadas por toda a obra, uma diagramação simples, mas bem feita, e uma revisão impecável. Quem é fã do Lemony deve ler esta obra o mais rápido possível, sem contar que é um ótimo livro para curar ressaca literária. 


Hey pessoal, tudo bem?

Para concorrer a um exemplar de 13 Incidentes Suspeitos é simples, basta preencher a primeira entrada, que é LIVRE, e você já está participando. Contudo, caso queira mais chances de ganhar, assim que a referida entrada for preenchida, as EXTRAS serão liberadas e algumas delas podem ser usadas todo dia, ou seja, muito mais chances para você!

A opção "tweet about the giveaway" é renovada a cada 24 horas, ou seja, todo dia que você tweetar a frase e preencher essa entrada, seu nome será adicionado mais vezes.

Qualquer dúvida quanto ao uso do formulário basta entrar em contato pelos comentários ou pela aba de "Contato" no menu do blog.

OBS: O formulário do Rafflecopter sofreu alterações nas entradas EXTRAS para curtir a página no Facebook. Para que tal entrada seja validada, é necessário CURTIR a página, e não só visitá-la como manda o formulário.

a Rafflecopter giveaway


Importante

  1. O ganhador deverá responder ao e-mail que mandarmos em até 48 horas. Caso não o faça um novo sorteio será realizado.
  2. O livro será ENVIADO em até 30 dias úteis pela editora.
  3. O blog não se responsabiliza por danos ou extravios causados pelos Correios.
  4. Caso o ganhador forneça o endereço errado e o pacote retorne, o mesmo perderá o direito ao prêmio.
  5. O ganhador deve ser residente e domiciliado em território nacional.
  6. O ganhador que descumprir alguma das regras será desclassificado.

"Que a sorte esteja sempre a seu favor!!"

Divulgação - O Despertar da Princesa de Fogo


Hey pessoal, tudo bem?

Minha amiga, Josy Lira, estará lançando seu primeiro livro romance intitulado O Despertar da Princesa de Fogo: A Ordem dos Dragões no dia 28/02/2015 na Livraria Saraiva da Avenida Mario Ypiranga Monteiro em Manaus/AM. Contudo, quem não mora na região poderá adquirir um exemplar na pré-venda no site da Editora Baraúna. A versão digital da obra já pode ser adquirida nos sites da Saraiva e da Livraria Travessa.  Confira abaixo um pouco mais sobre a obra e a autora:


“Como você age depois de escutar coisas bizarras e de saber que pode simplesmente ter uma morte premeditada em poucos dias? O único modo que eu posso imaginar é lutando para viver.” Foi desta maneira que vida dela começou realmente, ao entrar em mundo sobrenatural, onde exitem criaturas que ela nunca considerou reais. É nesse momento que a amizade entre Aislin, Beta e Grady passa a ser constantemente testada devido aos inúmeros perigos que os cercam, será que a amizade pode ser mantida frente a tantos problemas e desafios mortais? Ela tinha achava que estava apaixonada pelo inimigo, mesmo sem vê-lo, porém um guerreiro aparece neste momento e a deixa confusa com o turbilhão de sensações que ele causa nela, só por olha-la. “Como eu faria isso dar certo? Ele passaria o dia e a noite comigo, seria um tormento constante, pois por mais que eu não quisesse admitir ele me atraía. Com o Alex era diferente, o Taurus me deixava inquieta de uma forma bruta, nem conseguia colocar em palavras.” O Livro escolhe os sobrenaturais para uma jornada onde só a resposta ao que houve com a princesa Aislin pode parar a Guerra. Nessa escolha há amigos e inimigos juntos, porém será que eles tem os mesmos propósitos? Assim começa uma jornada que não ninguém sabe para onde vai, eles só sabem que tem que fazer e encontrar respostas sobre os dons, mais a que preço... "Pensar no que estava por vir não adiantaria. Tentar prever tudo o que poderia ou não acontecer com os meus amigos, família, e principalmente com os meus sentimentos não me levariam a lugar nenhum, era como estar no meio do deserto e não saber para onde ir."

Autora

Sou amazonense, estou com 36 anos, casada e tenho dois filhos que amo de mais e um cachorro chamado Spaike, conhecido por Di, amo livros de todas as formas. Eu sou uma leitora compulsiva, preciso ler todos os dias principalmente antes de dormir, prefiro o livro impresso mas as vezes leio em ebook, pois em viagens e quando saio é mais leve e posso levar quantos livros eu quiser. A minha história começou enquanto eu terminava o mestrado, simplesmente não conseguia desligar a minha mente para dormir, assim comecei a ler na internet sobre criaturas mitológicas, queria mudar o meu foco da realidade e dessa maneira a primeira história foi sendo criada, é uma sensação maravilhosa colocar em palavras os pensamentos e deixar a imaginação tomar conta.
Contatos: Instagram / Facebook / Twitter

Caso queira ler um trecho do livro, clique aqui. Vamos apoiar a literatura nacional pessoal! ;)

O Amor é Outra Coisa - Edson Aran

Hey pessoal, tudo bem?

Você com certeza já viu no twitter a frase "isso não é amor, o amor é outra coisa", seja no perfil do próprio autor, seja no de algum amigo. Eis que essa é a premissa da obra, algo que surgiu com uma definição em uma agenda, hoje chega às livrarias como um livro cheio de imagens e definições que prometem induzir as mais profundas gargalhadas no leitor.

"O amor é outra coisa” se tornou o “meme” mais famoso do Twitter, ganhando milhares de seguidores, apesar do insistente apelo do seu autor, várias vezes tuitado e retuitado: “Não me siga, também estou perdido”. O “meme” (espécie de vírus cultural que se instala na cabeça das pessoas e começa a se reproduzir sozinho) virou febre e todo mundo começou a copiá-lo. Agora, o seu criador, Edson Aran, reúne neste livro toda a série “o amor é outra coisa” e também vários outros pensamentos igualmente inúteis sobre a dor da existência, o sentido da vida, os descaminhos da humanidade e a busca da felicidade, juntando o melhor do seu amor e do seu humor. Divirta-se com as tiradas nada sutis deste livro, que não ensina coisa alguma, mas nos faz rir de tudo. O humor, afinal, é algo que, uma vez dentro de você, faz o seu coração bater melhor. Ou melhor, não é não. O nome disso é marca-passo. O humor é outra coisa.

Como disse no começo do texto, o livro não possui uma história, mas sim, uma coletânea de imagens que remetem ao famoso meme "O amor é outra coisa". Contudo, não se limita a este tipo de premissa, apresentando também outros tipo de pensamentos que podem "ser considerados estúpidos", mas que prometem mudar sua vida. 

Não tem como fazer uma resenha propriamente dita de um livro que só possui imagens e gravuras, por isso separei algumas das imagens e pensamentos para que vocês mesmos possam conferir do que estou falando. Espero que gostem. 


A humanidade precisa parar de fazer testes com os animais. Eles não acertam uma pergunta.

A primeira amnésia a gente nunca esquece.

Contrate empregados com dupla personalidade. Você vai ter dois pelo preço de um.


O amor não é uma coisa que expõe o que há dentro de você. O nome disso é raio X. O amor é outra coisa.

Rir é o melhor remédio. Mas se você pegar lepra é melhor consultar um especialista.


A edição é muito bem feita. Na capa foi utilizado papel cartão e as páginas são feitas em uma espécie de papel fotográfico. A obra é cheia de imagens que ilustram os dizeres, sendo eles todos muito curtos, como pode ser visto acima, vez que possuem um padrão "Twitter" de qualidade (140 caracteres). Recomendo a leitura para quem quer se divertir e fujir um pouco dos temas que permeiam a literatura atual. Também recomendo para quem está de ressaca literária, se essa obra não fizer com que saia dela, não sei o que fará.

Oscar Literário 2014


Hey pessoal, tudo bem?

Vi essa TAG no blog Oficina do Leitor - ela foi criada pelo Leandro do Palavras de Um Leitor - e achei um pouco interessante e uma maneira de mostrar para vocês quais obras, personagens e histórias mais me agradaram em 2014. E o Oscar vai para...

1 - Melhor Livro

Essa foi MUITO difícil de escolher, pois apesar de não ter lido muitos títulos em 2014 (apenas 34 livros), a maioria dos que li foram excelentes. Contudo, um deles se destacou mais que os outros e foi Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo - resenha aqui -, com sua narrativa simples e reflexiva, Bejamin Sáenz conseguiu me conquistar logo nos primeiros capítulos. Sem falar que me deixou com uma ressaca literária tão grande que quase nenhum livro que lia depois dele era bom o suficiente. 




Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão.
Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas - e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.






2 - Melhor Autor do Ano

Apesar de Aristóteles e Dante ter sido eleito o melhor livro do ano, o prêmio de melhor autor vai para E. Lockhart pelo livro O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks  - resenha aqui - (não li Mentirosos e não pretendo ler em um futuro próximo). A narrativa da autora é refrescante e inovadora, saindo daquele padrão batido que temos em quase todos os livros jovem-adulto da atualidade. 


3 - Melhor Protagonista Masculino

O escolhido da vez é Pug, protagonista de Mago: Aprendiz, do autor Raymond E. Feist. Livros com protagonistas masculinos não são tão comuns quanto protagonistas femininas, mas dentre todos, Pug conseguiu se destacar por seu raciocínio rápido e sede de conhecimento.

4 - Melhor Protagonista Feminino

O prêmio de melhor personagem feminino vai para Sidney Sage, a Alquimista da série Bloodlines, da autora Richele Mead. Ela possui todos os atributos de uma ótima personagem: personalidade forte, inteligência, carisma e a capacidade de convencer o leitor com suas atitudes sem deixar aquela sensação de que está forçando a barra. 

5 - Melhor Personagem Coadjuvante Masculino

Como li poucos livros ano passado, são poucas as opções e por isso o único personagem coadjuvante que realmente me recordo e que mais se destacou em 2014 é Adrian Ivashkov, também da série Bloodlines. O que faz dele tão memorável é seu humor ácido e seus vícios indiscretos, ele literalmente ligou o foda-se dane-se e foi ser feliz.

6 - Melhor Personagem Coadjuvante Feminino

Essa categoria foi difícil, contudo, uma personagem se destaca, a Boots da série Gregor. Infelizmente li em 2014 o último livro da série, por isso fiquei um pouco triste em saber que não verei mais as aventuras no Subterrâneo, mas como tudo chega ao fim, deixo aqui meu adeus e o prêmio de melhor coadjuvante para a nossa querida princesa dos rastejantes. 

7 - Melhor Arte de Capa

Houve um empate. Não consegui decidir qual das duas eu colocaria nessa categoria, por isso ambas levarão o prêmio de melhor arte. Olhem só que lindas!


Elas podem parecer um pouco sem graça na forma digital, mas pessoalmente são de tirar o fôlego. Os títulos são em relevo e os detalhes em verniz dão um toque especial a cada uma delas.

8 - Melhor Ambiente Criado

Mundos complexos e paisagens mágicas são mais que comuns nos livros que circulam hoje pelo mercado, por isso decidi dar o prêmio da categoria Melhor Ambiente Criado para Caminhos Incertos - resenha aqui -, não pela magia ou lindos cenários, mas por ser um ambiente que mais se assimila ao que temos no mundo atual e da realidade como a conhecemos. 


Você sabe o que uma pessoa sente ao ser humilhada? Marcos sabe, e é por isso que quando seus pais são transferidos de volta para Lagos – cidade onde sofreu dores no passado e que nunca mais pensou em retornar – seu mundo parece desmoronar. Mas hoje, ele é um adolescente decidido, forte, maduro e que vai poder contar com seus amigos para se readaptar, mesmo que seus desafetos do passado estejam mais cruéis do que nunca. E como se tudo isso não fosse o bastante, em meio a rivalidades antigas e aceitação quanto à sexualidade, um sentimento novo brota em dois corações. Sentimento esse que mudará o rumo de duas vidas que estão ligadas desde sempre, mesmo que ambos ainda não tenham percebido. Uma história que fala de amor em suas diferentes formas, da força das amizades que construímos ao longo da vida, importância da família, auto preconceito, e principalmente, o poder da aceitação.




9 - Melhor Título do Ano

Esse vai para Put Some Farofa - resenha aqui - que, apesar de parecer um tanto quanto sem graça ou não digno de vencer a categoria, passa a ter um sentido completamente diferente quando lemos a crônica que deu origem ao título do livro. Gregorio Duvivier é um gênio, e não há questionamentos sobre isso. 



Dont repair the mess. The house is yours. I make question. Pardon anything. Go with god. Come back always. Publicada em Julho de 2014, a crônica que dá título a este volume, que cria uma conversa imaginária de um brasileiro com um gringo visitando o Brasil durante a copa, rapidamente se tornou um viral de internet, até ser comentada em artigo do Washington Post. Trata-se de uma amostra da verve humorística embebida de zeitgeist, crítica ferina e muito afeto de Gregorio Duvivier, um dos autores mais promissores do Brasil na atualidade. Reunindo o melhor de sua produção ficcional, Put some farofa traz textos publicados na Folha de S.Paulo e esquetes escritos para o canal Porta dos Fundos, além de alguns inéditos. Se Gregorio traz o raro dom da multiplicidade, tendo se destacado no cenário cultural brasileiro ao mesmo tempo como ator, roteirista, comediante, cronista e poeta, também múltiplo é este volume, que transita entre ficções, memórias de infância, ensaios sobre artistas que o influenciaram, artigos panfletários, exercícios de linguagem e outras experimentações.



Bom pessoal, esse foi meu Oscar Literário 2014, espero que tenham gostado e que 2015 traga excelentes leituras para todos nós.

Deixe nos comentários quais os livros que você premiaria em cada categoria, ou faça o post no seu blog e me mande o link, adoraria saber quais foram suas leituras! *__*

A Quase Honrosa Liga de Piratas: O Terror das Terras do Sul - Caroline Carlson


Saudações, caros leitores, como você estão?

Um dos benefícios de ler a série A Quase Honrosa Liga de Piratas é a sua narrativa, uma das grandes proezas que a autora consegue realizar. Tendo como primeiro volume O Tesouro da Encantadora - resenha aqui -, é seguro dizer que essa saga, apesar de ser um infanto-juvenil, irá encantar até os adultos e em O Terror das Terras do Sul não poderia ser diferente. 



Em 'O tesouro da Encantadora', Hilary viveu grandes peripécias em alto - mar até encontrar o maior tesouro do reino, desaparecido havia muito tempo, e sua dona, a Encantadora das Terras do Norte. Como recompensa, recebeu um certificado de filiação à 'Quase Honrosa Liga de Piratas' e o título de 'Terror das Terras do Sul'. Neste novo volume da série, a Encantadora voltou ao seu posto, e Hilary acompanha a redistribuição dos objetos mágicos pelo reino. Mas o presidente da QHLP não está satisfeito - Hilary precisa se envolver numa atividade verdadeiramente pirática logo, como matar um monstro marinho ou derrotar um líder pirata num duelo, senão perderá seu título - e sua filiação à Liga. Antes que consiga recuperar sua reputação, a garota fica chocada ao descobrir que a Encantadora foi sequestrada. Contrariando as ordens do presidente da Liga, Hilary se junta à gárgula e a seus amigos para investigar o caso, ainda que resgatar Encantadoras não esteja na lista de atividades próprias a um pirata.



Depois de trancafiar seu pai nas masmorras reais devido ao seus maus feitos ao reino de Augusta, Hilary Westfield conseguiu provar ao mundo que meninas podem se tornar piratas, recebendo até mesmo o título de O Terror das Terras do Sul. Sem nenhuma aventura pela frente, ela é advertida pelo presidente da QHLP, o capitão Dentenegro, que classifica suas atitudes como nada piráticas, chegando a propor a ela alguns desafios que iriam provar sua ousadia e coragem para com a Liga. Porém, com o repentino sumiço da Encantadora (Srta. Pimm), ela e parte da tripulação do Pombo partem em uma nova jornada que vai contra as recomendações feitas por Dentenegro. Será que Hilary conseguirá provar novamente sua ousadia e coragem ao mundo?

Um pirata nunca consegue ficar muito tempo longe de aventura.

- Em todo caso - disse Jack Bala-de-Canhão -, ninguém jamais encontrou um pedacinho sequer da magia que ele roubou. Não o deixam sair das masmorras, é claro, mas a srta. Pimm achava que ele tinha cúmplices. Outras pessoas da alta sociedade que ainda queriam ficar com uma grande quantidade de magia só para elas. Esse pessoal também não gosta dela, e achariam melhor ficar sem uma Encantadora, no fim das contas.
Pág.: 105

Em seu livro, Caroline Carlson conseguiu um desempenho satisfatório, vez que sua narrativa, unida aos pequenos mistérios inseridos no decorrer da leitura, chegam a ter um destaque maior sobre as demais qualidades. Dessa forma, sendo narrada em terceira pessoa, ela consegue equilibrar ação e drama dentro da história, além de proporcionar uma visão dinâmica dos acontecimentos. Diferentemente do primeiro volume, a sua narrativa está centrada exclusivamente nas atuais ocorrências, o que dispensa detalhamentos sobre o passado do reino, uma vez que este já foi apresentado em O Tesouro da Encantadora

Nem só de narrativa vive um livro. Por assim dizer, pude perceber que a autora fez um uso maior de personagens dados como secundários no primeiro volume, o que acabou culminando em seu maior aproveitamento, sem mencionar que alguns tem grandes influências e importâncias dentro da trama. Em consequência desse aprofundamento, passamos a conhecer mais sobre a vida de algumas personalidades, que adicionadas aos mistérios da obra, consegue estabelecer alguns questionamentos que só serão respondidos no decorrer da leitura. 

Caroline Carlson

- Nunca abri um buraco no Rangedor, abri? 
- Para a nossa sorte - disse Charlie. - Não sei quanto a vocês, mas não estou nem um pouco a fim de ir parar no fundo do mar. - Ele se virou e foi em direção ao ninho da gárgula. - Talvez vocês, garotas da alta sociedade, considerem um naufrágio emocionante e romântico - ele disse enquanto caminhava -, mas juro que não é.
Pág.: 235

Como cada livro da série conta com histórias fechadas, aqui temos um final um tanto quanto previsível, mas apesar disso, o leitor ainda é surpreendido por pequenos detalhes que terão grandes efeitos no próximo volume. O que não falta em A Quase Honrosa Liga de Piratas: O Terror das Terras do Sul são qualidades, dado que a trama, composta é por mistérios, aventuras, dramas e humor, conseguindo prender a atenção do leitor. 

Em relação ao volume anterior, nada foi alteração quanto a diagramação. Sendo assim, temos um tamanho de fonte e espaçamento satisfatórios, ilustrações no início de cada capítulo e um mapa do reino de Augusta logo no começo do livro. Contamos com folhas amareladas, título em alto-relevo na capa e uma ilustração retratando uma das cenas da obra. A revisão está impecável. 

Mares de Sangue - Scott Lynch


Saudações, caros leitores, como vocês estão?

Com seu jeito diferenciado de narrar, Scott Lynch coloca novamente seus leitores diante das situações mais inesperadas e inóspitas possíveis, mostrando que o mundo do crime em Tal Verrar consegue ser, em todos os sentidos, mais cruel comparado às aventuras e crimes cometidos pelos Nobres Vigaristas em Camorr, cidade onde se passa a trama de As Mentiras de Locke Lamora (resenha aqui).

Após uma batalha brutal no submundo do crime, o golpista Locke Lamora e seu fiel companheiro, Jean Tannen, fogem de sua cidade natal e desembarcam na exótica Tal Verrar para se recuperar das perdas e feridas. Porém, mesmo no extremo ocidental da civilização, não conseguem descansar por muito tempo e logo estão de volta ao que fazem de melhor: roubar dos ricos e embolsar o dinheiro.
Desta vez, eles têm como alvo o maior dos prêmios, a Agulha do Pecado, a mais exclusiva casa de jogos do mundo, onde a regra de ouro é punir com a morte qualquer um que tente trapacear. É o tipo de desafio a que Locke não consegue resistir... só que o crime perfeito terá que esperar.
Antigos rivais dos Nobres Vigaristas revelam o plano a Stragos, o ambicioso líder militar verrari, que resolve manipulá-los em favor de seus próprios interesses. Em pouco tempo, a dupla se vê envolvida com o mundo da pirataria, um trabalho inusitado para ladrões que mal sabem diferenciar a proa da popa de um navio.
Em Mares de sangue, Locke e Jean terão que se mostrar malabaristas de mentiras, enganando todos ao seu redor sem a mínima falha, para que consigam sair vivos. Mas até mesmo isso pode não ser o bastante...

Exaustos pelos acontecimentos em Camorr, os Nobres Vigaristas partem rumo a Tal Verrar, cidade onde está localizado o mais novo alvo do grupo, o Agulha do Pecado, um singular cassino. Investindo o tempo de dois anos para a elaboração e preparação do plano, o grupo é descoberto pelo líder militar Maximilian Stragos, que passa a usá-los, uma vez que deseja a todo custo restaurar sua autoridade, além de querer por em prática um arriscado plano envolvendo sua marinha. Dessa forma, o bando de trapaceiros acaba se aventurando no mundo dos piratas, sem ao menos terem conhecimentos de como comandar uma navegação. 

Nem sempre o mar está de bom humor.

- Não tenho muitos oficiais de cabelo claros, mas o uniforme lhe serve bem. Mandarei fazer mais dois até o fim da semana. - O Arconte estendeu a mão e ajeitou alguns detalhes: apertou o lenço de pescoço, mudou a posição da bainha vazia presa ao cinto. - Você vai usá-lo algumas horas por dia. Acostume-se com ele. Um dos meus Olhos vai lhe dar instruções sobre postura, cortesias e saudações.
Pág.: 210

Algo que me assusta nos livros de Scott Lynch é a sua dinâmica em trabalhar vários assuntos ao mesmo tempo. Ao contrário do primeiro volume, em Mares de Sangue ele deu um maior destaque às questões políticas de Tal Verrar, como as trocas de poderes, a corrupção e a distribuição de riquezas. Esse fato chega até ser interessante, vez que um dos primeiros receios que tive antes de iniciar a leitura era a falta de originalidade, a ausência de uma identidade própria, o que de fato não aconteceu na obra. O envolvimento dos Nobres Vigaristas com os piratas chega a ser uma parte incômoda, vez que alguns personagens não são nem um pouco agradáveis, mas ela é essencial para desdobramento da história.

Scott conseguiu manter quase todos os aspectos narrativos do primeiro livro, mudando pouca coisa neste. A trama ainda é narrada em terceira pessoa, mas a intercalação entre passado e presente é interrompida na metade da obra. Nas inúmeras reviravoltas, traições, e até mesmo pelo contexto violento da história, fica perceptível o amadurecimento de Locke Lamora.

Autor

Jean sentia a vez, percebendo de algum modo que a impressão de som era apenas um truque que ele fazia consigo mesmo, um eco nos ouvidos. Sentia aquilo como uma intromissão na consciência, como um roçar de patas de insetos contra a pele. Enxugou a testa de novo e percebeu que estava suando demais até para uma noite quente como aquela.
Pág.: 365

Mares de Sangue é uma ótima leitura, uma vez que ela conta com elementos fantásticos e envolventes, o que o faz esquecer das suas 512 páginas. Apesar das histórias contarem com um final, recomendo ler o primeiro volume, já que neste pude perceber referências e até mesmo personagens que aparecem em As Mentiras de Locke Lamora. O terceiro livro se chama The Republic of Thieves, algo como República de Ladrões, e está ainda sem previsão de lançamento.

A diagramação está idêntica ao do primeiro livro e simples, contando com fontes pequenas e um agradável espaçamento entre linhas. Já na edição temos páginas amareladas e títulos com verniz localizado na capa, que por sinal, ilustra adequadamente o contexto da trama. Leitura recomendada!


Coração Ardente - Richelle Mead


Hey pessoal, tudo bem?

Coração Ardente foi o primeiro livro da série Bloodlines que não me agradou completamente. A autora decidiu contar a história também sob o ponto de vista de Adrian e isso fez com que a imagem que tinha do personagem fosse completamente destruída. Temos aqui a aplicação prática do famoso ditado: "em time que está ganhando não se mexe". 


No quarto volume da série Bloodlines, enquanto Sydney Sage esconde seu romance ardente com o vampiro Adrian Ivashkov, a ameaça de ser descoberta — e mandada para a terrível reeducação — é maior do que nunca. Criada desde criança para desprezar os vampiros, a alquimista Sydney Sage acabou vencendo seus preconceitos em sua última missão. Aos poucos, a garota não só criou laços de amizade com esses seres como acabou se apaixonando por um deles — o irresistível Adrian Ivashkov — e, surpreendendo até a si mesma, decidiu levar o relacionamento proibido adiante, em segredo. Tudo se complica quando Zoe, sua irmã, se junta à missão. Sydney precisa guardar seu segredo enquanto tenta fazer com que a caçula perceba como as crenças alquimistas estão equivocadas. Enquanto isso, Adrian sofre com os fortes efeitos do espírito — um elemento mágico que, ao mesmo tempo em que lhe confere poderes, pode levá-lo à loucura. Sydney é seu maior incentivo para abrir mão desses poderes e buscar uma saúde mental equilibrada, mas Adrian nem consegue imaginar como seria vê-la machucada e não poder fazer nada. Agora, ele precisa escolher entre sua sanidade e a capacidade de ajudar a todos — especialmente aqueles que ama.

Agora que sua irmã se mudou para a escola Amberwood, Sydney tenta conciliar sua vida como Alquimista, seu namoro com Adrian - um vampiro que é considerado o sonho de muitas mulheres - e sua vida como Bruxa, vez que agora ela faz parte de um coven. E os problemas não param por aí, com a presença constante de Zoe, ela passa a ficar ainda mais sob os holofotes dos Alquimistas e isso pode colocar o futuro de toda missão em risco, já que é extremamente proibido qualquer relacionamento com os vampiros que não seja puramente profissional. Para uma pessoa cujo único problema era garantir que o mundo sobrenatural ficasse escondido dos humanos, nossa protagonista conseguiu aventuras para mais de uma vida.

Professora Terwilliger

E, quando acabou, eu não queria soltá-la. Olhei para o rosto dela, com as bochechas coradas e os fios de cabelo úmido, e pensei: Não importa se é uma união de animais selvagens ou uma junção sublime de almas: ela é minha e eu sou dela.
Pág.: 298

A narrativa, de certa forma, continua a mesma. Temos os capítulos narrados por Sydney e com ele tem-se as mais complexas aventuras, seja no mundo alquimista, seja no mundo bruxo. O verdadeiro incomodo está nas partes narradas por Adrian, que como foi dito no começo da resenha, não fazem jus ao personagem. Ele era tido como um cara mulherengo e cheio de vícios, com uma personalidade indomável e postura sarcástica, e a autora conseguiu transformar ele em um bobão romântico que é só Sydney isso, Sydney aquilo, Sydney aqui, Sydney lá... É como se ele passasse a ser outro personagem, ocorrendo basicamente o que aconteceu com o Quatro/Tobias em Convergente

Exceto por Adrian, os personagens de uma forma geral não sofreram alterações. Temos mais desenvolvimento de alguns, como Noah e Zoe, irmã de Sydney. Devo confessar que ela é a mais irritante de todas, pois é a tipica criança alienada que acredita em tudo o que o pai fala e que quer fazer de tudo para chamar a atenção dele e mostrar que já consegue cuidar de si, sem medir as consequências de seus atos. Ela é TÃO irritante que queria atirá-la na vala mais profunda do inferno. 

Se tivesse que escolher alguém para ser a Sydney no cinema, seria ela.

- Aonde você vai? - Eddie perguntou.
- Pra rua - respondi. - Plano de fuga nº 82: ir para algum lugar onde não tenha que sentir nada por um tempo.
 Ele trocou um olhar preocupado com Jill e perguntou:
- Quando você volta?
Centrum remanebit.
Balancei a cabeça e virei as costas.
- Não importa.
Pág.: 406

O final do livro foi simplesmente alucinante. Jamais imaginei que aquilo pudesse acontecer, pois mesmo sabendo que o fato gerador daquele desfecho iria causar um grande dano ao grupo, não imaginei que seria aquele. Estou ansioso para ler  próximo volume da série, que está previsto para o primeiro semestre de 2015, mas estou também com um certo receio de que a autora tente modificar novamente a história e inclua outros pontos de vista além do dos protagonistas, o que não me agraria. 

A edição segue o mesmo padrão das anteriores, uma capa metálica com um título em preto e a imagem do que deduzo ser um lírio enfeitando o título. O que não gostei na edição foi a cor da capa, penso que a intenção era deixar em um tom laranja metálico, como o azul e dourado dos livros anteriores, mas a cor utilizada não colaborou com o efeito e deixou a capa mais simples que o esperado. A diagramação também está simples e achei apenas um erro de digitação em toda a obra. Leitura recomendada para quem quer saber o desfecho da série. 

Abraços,
  Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 10º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.

Vintage Rock Store: Álbum Duplo: Um Rock Romance - Paulo Henrique Ferreira


Olá Vintagers, tudo bem? Se curtem um bom Rock’n Roll, este livro é ideal para vocês!

Antes de qualquer coisa, preciso perguntar a vocês: Quem nunca relacionou um acontecimento, um momento em sua vida com uma música? Isso, qualquer música, seja uma que reflita dor ou alegria, dependendo do momento! Provavelmente todos, não é? 

É isso que o autor Paulo Henrique Ferreira nos mostra, como a música pode descrever perfeitamente um momento em nossas vidas, revelando assim uma trilha sonora espetacular e digna de um filme. Seu livro, Álbum Duplo: Um Rock Romance, conta a “sofrida” vida de Marlo Riogrande, um rapaz formado em História e muito inteligente, porém que fez algumas escolhas erradas na vida - quem nunca fez isso, não é?! - e tenta a redenção. Então aperte o play e vamos lá!




O romance conta a história do jovem Marlo Riogrande, que se depara com a situação de ter magoado e perdido sua namorada, Marcela.
Neste fundo do poço, Marlo lida com as questões que o impedem de crescer: o sexo, as drogas legais e ilícitas, o sufocante ambiente de trabalho e, após ser abandonado por Marcela, uma vida sem boas perspectivas.
O protagonista convida o leitor a ser o elemento onipresente da história e entrelaça suas reflexões com uma trilha sonora espetacular de rock and qroll, além de outras referências da literatura, cinema e cultura pop.
O livro sugere uma trilha sonora com 51 canções – de Beatles a Belchior – que formam a espinha dorsal da narrativa. Com ajuda das canções, Marlo Riogrande coloca em xeque suas dúvidas e inseguranças, respaldado pelos fatos e esclarecedores diálogos com diferentes personagens que surgem ao longo da história.


Resumo

O livro é narrado na primeira pessoa pelo próprio Marlo, que é um jovem que saiu de uma cidade pequena e pacata e foi morar na cidade grande para estudar e trabalhar, e como todo jovem e universitário, ele conheceu pessoas e teve acesso a novas experiências.

Após se formar, Marlo começou a dar aulas particulares para crianças e adolescentes que se davam mal em História e após uma aula particular para o filho de um Promotor, Marlo foi chamado para ser professor de um cursinho preparatório para Concursos Públicos. Nestas idas e vindas, em uma festa na república de um amigo, Marlo conheceu Marcela, a garota dos seus sonhos: encantadora, bonita e que revirou seu mundo. Ele descreve a sensação de conhecer a garota com esta linda música do Queen - Don’t Stop Now.

Como você pode ver, Marcela realmente virou a cabeça desse homem hehehe.

Eu sou uma estrela cadente saltando pelo céu
Assim como um tigre desafiando as leis da gravidade
Eu sou um carro de corrida ultrapassando como Lady Godiva
Eu vou, vou, vou, vou
E nada vai me deter...

A partir deste dia, Marlo e Marcela descobririam que são almas gêmeas, sabiam que não poderiam viver um sem o outro. O jeito meigo e sensato de Marcela era o equilíbrio perfeito em contraste com o rapaz impulsivo e de atitude que era Marlo. Uma linda história de amor com um toque bem Rock.


Porém, como todos sabem, nem tudo na vida são flores! Marlo, por ser um rapaz de momentos, como o próprio nos descreve: “Tinha tudo na mão, mas jogou no lixo”. Ele trai a confiança de Marcela (Pisa na bola feio!!) e a mesma termina com ele. A partir daí o mundo de Marlo desaba, o rapaz se resume a “um nada”, uma pessoa deprimida e sem perspectiva de vida. Passando os dias no modo automático, ele busca consolo nos velhos amigos, vícios e prostitutas (Pesado não é? Mas é a vida). No decorrer do livro nosso personagem central se vê no fundo do poço e seus vícios o impedem de ser uma pessoa melhor.

Opinião

Como já pude expressar aqui, sou uma grande fã do bom Rock’n Roll, quando peguei Álbum Duplo para ler, sabia que não ia me decepcionar. Marlo, além de ser um cara muito inteligente possui um ótimo - PERFEITO hehehe - gosto musical. Sua vida tem simplesmente a trilha sonora de Queen, Led Zepplin, The Beatles, etc. O autor relaciona cada capítulo com uma lista de músicas e nos aconselha que escutemos cada uma ao ler o capítulo e digo, na maioria das vezes fiz o que o autor propôs e confesso uma coisa: me senti dentro da história, vivendo as angústias que o personagem vivia, pude sentir também uma pessoa onipresente na história, como um fantasma ao lado do Marlo em cada atitude que ele tomava. Foi uma experiência incrível e quase impossível de descrever.

A obra possui uma escrita leve e gostosa, o personagem nos convida a viver com ele cada situação e em certos momentos nos faz refletir algumas atitudes tomadas, e o que achei muito legal é que em alguns momentos ele “nos pede” para não abandoná-lo, mesmo sabendo que ele fez muitas merdas besteiras (ele é um fofo *_*, hehehe).


O livro trata de questões bem sérias como a infidelidade virtual, muito freqüente nessa era totalmente conectada; o processo de degradação física e moral que o ser humano atinge, e isso é bom pois o livro nos mostra que essa degradação é um trampolim que nos faz crescer mais e aprender com nossos erros. Marlo pisou na bola com Marcela, mas ele precisava passar por tudo o que passou para que sua atitude de moleque caísse e o verdadeiro homem nascesse.

Digo que meu processo de leitura foi excelente, além de refletir sobre algumas questões também pude conhecer novas bandas, novas músicas. Se você procura um livro que aborde questões atuais, te convido a conhecer Marlo e a compartilhar com ele todas as loucuras que alguém é capaz de fazer para ter o seu amor de volta, tudo isso com uma a pitada de música de qualidade.


A diagramação é muito bem feita, as primeiras páginas de cada capítulo são chapadas de preto com uma citação da música principal que representa aquele capítulo, bem Rock.

E fica a dica: A vida com uma trilha sonora fica muito melhor! Boa leitura!

Rock Kisses,
             Mayra Luíza
É administradora do Vintage Rock Store e resenhista aqui no Vida de Leitor. Possui um estilo Rock Vintage de ser e, assim como Marilyn Monroe, acredita que a imperfeição é bela e toda loucura é genialSeus livros favoritos são: Harry Potter e Crônicas de Gelo e FogoSuas bandas favoritas são: Nightwish e Epica
Facebook/Vintage Rock - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.