Centelha - Amy Kathleen Ryan


Saudações, caros leitores, como vocês estão?

Centelha é o segundo volume da trilogia Em Busca De Um Novo Mundo, que teve seu inicio com o livro Brilho, cuja leitura foi feita no começo desse ano - resenha aqui. Nesta obra, podemos perceber uma enorme evolução na trama e, consequentemente, em seus personagens. Assim como no seu antecessor, neste nos deparamos com intrigantes mistérios e questionamentos que influenciam diretamente o nosso ritmo de leitura. 


Depois de Brilho, a saga nas estrelas continua… Após uma fuga desesperada da nave inimiga, Waverly e as outras meninas sequestradas conseguiram voltar para a Empyrean. Mas o clima por ali não poderia estar pior. Kieran, o menino gentil e sonhador que Waverly amava, assumiu o posto de capitão e passou a agir como um tirano de sangue-frio, deixando a Empyrean sob uma tensão sinistra. Seth Ardvale, líder brilhante e arqui-inimigo de Kieran, foi trancafiado na prisão, sem julgamento. As crianças prodígios que mantêm a nave funcionando estão revoltadas com o autoritarismo do líder. Para completar, uma explosão faz soar o alarme de mais uma ameaça. Eles não estão sozinhos. A tripulação aterrorizada terá que lidar com um inimigo pior do que a New Horizon, ou o delírio de Kieran. Seth descobre um passageiro clandestino na nave, que se move silenciosamente, deixando rastros de sangue por onde passa. O criminoso quer vingança. E só Waverly é a chave para entender seu ódio e impedir que ele detone sua bomba-relógio.




Partindo do ponto em que Brilho termina, em Centelha percebemos que aspectos como insegurança e instabilidade já fazem parte do convívio social na Empyrean, que após os pais sobreviventes ao ataque serem sequestrados pela sua nave irmã, a New Horizon, passou a ser comandada pelas crianças. Assim sendo, Kieran, alucinado pela violência dos ataques e pela "perda" dos pais, passou a assumir uma postura opressora, tornando-se capitão da nave em questão. Waverly, por sua vez, passou a questionar algumas coisas, principalmente depois dos sofríveis acontecimentos que ela passou sob o domínio da louca e persuasiva Anne Mather, capitã da New Horizon. Contudo, uma nova explosão na Empyrean deixa sua população em alerta, uma vez que eles desconhecem o motivo de tal atentado, o que levou Kieran, como sempre, a culpar Seth, não só por esse acontecido, mas por quase tudo que está acontecendo. 

Image and video hosting by TinyPic
"Quase todos os homens podem suportar a adversidade, mas se você quiser testar o caráter de um homem, dê-lhe poder." - Abraham Lincoln
Poderia culpá-la por isso? Ele armara um motim contra o namorado dela, Kieran Aiden, e este o jogara na prisão e o deixara sem comida. Alguns ainda diziam que Seth tentara matá-lo. Tudo isso começou a fazer sentido para Seth, mostrava o quanto esteve fora de si. O momento tinha sido absurdo. Sem nenhum motivo a New Horizon havia atacado a Empyrean, tomado todas as garotas e causado um vazamento nos reatores que culminou com a morte do pai de Seth. Mas isso não era desculpa para o que Seth havia feito. Todas as crianças da Empyrean tinham perdido os pais ou estavam separadas deles; todas tinham responsabilidades aterrorizantes no comando de uma nave sem um único adulto em condições de liderança a bordo. Entre elas, Seth Ardvale se destacou por ser o único a agir como um sociopata.
Pág.: 12

Os aspectos narrativos continuam os mesmos que no livro anterior. Desta feita, os fatos narrados são apresentados sob o ponto de vista de três personagens, sendo eles: Kieran, Waverly e Seth. Isso se deve ao fato da importância simbólica no decorrer da trama de cada um, incluindo a de comporem um triângulo amoroso, apesar deste não ter sido muito desenvolvimento, por não ser o foco da trama. Nesse volume encontramos um enredo com mais ritmo, mais cenas de ação e muito suspense, diferentemente do seu antecessor. Além disso, as questões religiosas ainda se fazem presentes e continuam tendo uma certa influência direta no desenvolvimento linear da trama.

Uma das mudanças mais perceptíveis que notamos logo no início da leitura, são justamente as personalidades do três personagens principais. Kieran talvez seja o que mais demonstra isso, já que ele está "corrompido" pelo poder, abusando do que ele acredita ser "sua autoridade". As cargas emocionais são bem justificadas, pois olhando por um lado, qualquer ser humano que vivesse o que eles enfrentaram, absolutamente refletiriam as mesmas emoções e reações. Outro ponto a ser mencionado seria o conteúdo politico que essa trama nos apresenta, levando alguns personagens a questionarem as suas participações nas decisões que ocorrem em ambas as naves.

Image and video hosting by TinyPic
Capa estrangeira do terceiro volume, Flame.
- Pode ser que você esteja certo - disse Arthur por fim. Ele se levantou, apoiando uma das mãos na mesa. - Mas achamos que Mather esteja planejando assumir o controle da nossa nave quando nos encontrarmos. Ela é faminta por poder, e sabemos que quer estabelecer uma teocracia na Terra Nova, como aquela que tem na sua nave. Você conseguiria viver sob o comando dela? Porque não acho que eu conseguiria.
Pág.: 272

Por se tratar do segundo livro de uma trilogia, ainda não contamos com um final conclusivo. Porém, o presente nesta trama nos deixa ansiosos para ler a continuação. Posso dizer que Centelha já está na minha seleção de melhores leituras do ano, justamente pelas enormes reviravoltas que o enredo apresenta, além disso, das personalidades fortes que o compõem. Flame é o nome, em inglês, do terceiro volume (em tradução livre: Chama ou Fogo), que ainda se encontra sem previsão de lançamento aqui no Brasil.

A diagramação continua a mesma da que encontramos em Brilho, dessa forma, temos um espaçamento de linhas e fonte utilizada agradáveis. Assim como no livro antecessor, há pequenas citações de personalidades famosas nas trocas das partes que dividem a trama. Sobre a edição, desta vez não contamos com glitter espalhado na capa, porém, ela ainda apresenta em alguns lugares uma textura rugosa e as folhas são amareladas. Não encontrei erros gramaticais ou de tradução. Leitura recomendada!

Abraços,
Gustavo Demétrio
GUSTAVO DEMÉTRIO
É Resenhista e CDC aqui no Vida De Leitor. Um ávido leitor que sonha um dia se tornar um Arquiteto de renome. Admirador do universo e grande fã do Stephen King. Seus livros favoritos são: Série Torre NegraTigana, Sherlock Holmes Sob a Redoma. 
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.

MAGO: Espinho de Prata - Raymond E. Feist


Hey pessoal, tudo bem?

O blog ficou um pouco desatualizado nos últimos dias, mas isso ocorreu em face à tão temida Prova da OAB (segunda etapa). Contudo, como não posso deixá-los na mão, trago hoje a resenha do terceiro livro de uma das séries que descobri esse ano e que já tem "cadeira cativa" na minha estante. O livro em questão é Espinho de Prata, uma livro no estilo High Fantasy que nos faz viajar por um mundo onde magia e traição estão em toda parte. 






Durante quase um ano, a paz reinou nas terras encantadas de Midkemia. Porém, novos desafios aguardam Arutha, o Príncipe de Krondor, quando Jimmy, a Mão - o mais jovem larápio do Zombadores, a Guilda dos Ladrões - surpreende um sinistro Falcão Noturno prestes a assassiná-lo. Que poder maléfico fez com que os mortos se levantassem para combater em nome da Guilda da Morte? E que magia poderosa poderá derrotá-los? Mas primeiro o Príncipe Arutha, na companhia de um mercenário, um bardo e um jovem ladrão, terá que fazer a viagem mais perigosa da sua vida, em busca de um antídoto para o veneno que está prestes a matar a bela Princesa no dia do seu próprio casamento.


O livro tem sua trama focada em Arutha e Anita, e o tão aguardado casamento real. Contudo, nem tudo sai como planejado e Anita acaba sendo envenenada com uma substância extraída da planta Espinho de Prata, uma flor rara cuja existência se tornou um mito. Na companhia de pessoas de sua inteira confiança, o príncipe de Krondor sai em uma missão cujo objetivo é encontrar o antidoto para o mal que ataca sua prometida, mas um grande inimigo se levanta no horizonte e promete trazer ruína a Midkemia. 

Krondor

- Ela irá sobreviver?
- Por enquanto, ela vive - respondeu Pug. - Arutha, a Princesa existe entre momentos e assim permanecerá, para sempre jovem, até a remoção do feitiço. Quando o tempo voltar a fluir para ela, então precisará de uma cura, se de fato existir uma cura. 
Pág.: 158

O rumo que a história tomou, infelizmente, não me agradou muito, mas isso não quer dizer que o livro é ruim, muito pelo contrário, mesmo não atingindo minhas expectativas, é uma livro muito bem desenvolvido e recomendado, só penso que uma série que se chama MAGO tenha um foco maior em magia e feitiçaria, e não na busca de uma cura feita por um humano normal sem um pingo de poder senão seu sangue real. Um grande ponto a favor da obra são os personagens, quem leu minhas resenhas de Aprendiz e Mestre sabe que odiei Arutha em ambos os livros, mas agora que o terceiro foi narrado sobre sua perspectiva e pude estar um pouco em sua mente, percebi que havia julgado-o mal e que ele é um personagem forte e descontraído em alguns momentos. Pug e os demais personagens continuam os mesmos e Jimmy, A Mão, se tornou um personagem cativante, apesar de seus probleminhas com roubo. 

A narrativa segue o mesmo padrão dos livros anteriores, mas pude notar que agora o autor deu uma diminuída nas passagens de tempo. Nos livros anteriores ele fez com que vários anos se passassem em poucas páginas, mas nesse ele conseguiu se controlar e manteve uma linha temporal bem elaborada e consistente com a corrida contra o tempo que está presente na história. Ademais, seu mundo e estilo de descrever paisagens e batalhas não sofreram alterações, o que pode ser interpretado como algo bom ou ruim. 

A batalha contra a Guilda da Morte. 

- Você tem muito a aprender. Ficará um ano conosco e, quando partir daqui, possuirá um poder e um entendimento que agora só consegue vislumbrar. Sem esses ensinamentos, não conseguirá sobreviver à batalha que se aproxima. Com eles, você poderá ser a salvação de dois mundos. 
Pág.: 385

O final do livro foi surpreendente e prevejo uma grande aventura para Pug, como pode ser visto no quote acima, o que me faz crer que o próximo volume terá muito mais magia e ensinamentos antigos em sua história. Jimmy, como dito acima, se tornou cativante e desempenhará um papel de suma importância no reino, não posso falar mais que isso sem dar spoilers, sorry pessoal.

A edição segue o mesmo padrão das demais. Há verniz localizado na imagem da capa e a lombada possui a letra G impressa, o que fará que, quando todos os livros forem lançados, a palavra MAGO seja formada ao colocá-los lado a lado. Não encontrei erros de digitação ou revisão. Leitura recomendada. 

Abraços,
  Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 9º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.

Meus 15 Anos - Luiza Trigo


Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Sabe quando você lê um livro e sente vontade de sair contando para todo mundo o quanto gostou? É exatamente isso que senti ao terminar esse. Apesar de não fazer parte do público alvo de Meus 15 Anos, me senti deliciada e um pouco saudosa ao acompanhar a história de Bia. Como se não bastasse um enredo cativante, o leitor é presenteado com várias surpresas no decorrer da leitura.






Uma festa de cinema! Este era o sonho de Bia, prestes a se tornar realidade em Meus 15 anos. Ela só não esperava que sua grande noite daria um filme – com direito a drama, romance, comédia e ação de tirar o fôlego. Bia é a protagonista do segundo romance da escritora carioca Luiza Trigo, que vem conquistando seu espaço entre o público adolescente e pré-adolescente desde sua estreia com Carnaval. Da entrega dos convites ao surpreendente desfecho, a autora conta uma história movida a sonhos, paixões, ciúmes, alegrias, decepções e, principalmente, amadurecimento, amizade e amor.





Pelo menos uma vez na vida toda garota já pensou em como seria sua festa de quinze anos, Beatriz é daquelas que sempre desejou uma festa de princesa. Devido a suas excelentes notas, seus pais decidem atender seu desejo e dar a ela um mega baile.

Por gostarem de livros, filmes e serem estudiosas, Bia e suas amigas acabaram sendo taxadas de nerds e isso fez com que o garoto de quem ela gosta sequer notasse sua existência. O grande dia de Beatriz se aproxima e após a entrega dos convites sua festa passa a ser o assunto mais comentado da escola, provocando a ira de Jessica, uma garota metida que acredita que ninguém naquele colégio será capaz de fazer uma festa que supere a dela. Sendo alvo de tanta atenção, Bia terá que focar no que realmente deseja e tornar sua festa algo memorável!

Presencie essa festa memorável!

Mal sabe ela que eu queria ser o seu príncipe de verdade, a sua primeira opção, não o substituto.
Pág.: 50

A escrita da autora é envolvente e a história é leve e divertida, apesar de possuir uma temática voltada para o público juvenil, esse livro é capaz de conquistar até mesmo o leitor que já passou dos quinze a um bom tempo. Os conflitos são bem bobinhos, mas é engraçado ler e perceber que (pelo menos no meu caso isso aconteceu) já passamos por boa parte do que é retratado quando éramos mais novos. Essa é uma história que se encaixa no cotidiano por não relatar nenhuma situação incrivelmente inusitada e improvável, e esse fato acabou fazendo com que o contexto se tornasse ainda mais cativante.

Os personagens são bem construídos e possuem personalidades marcantes. Identifiquei-me muito com a protagonista e seu grupo de amigas, cada uma apresenta uma forma de ser encantadora, engraçada e única. Jessica e sua amiga Rita são as megeras da escola, são tão venenosas quanto cobras ao falarem mal de seus colegas e se sentem superiores a todos que as rodeiam, apesar de Rita ser um pouco mais tolerável, ainda assim não me simpatizei com ela. Thiago é o típico garoto popular e estúpido de quem quase todas as garotas do colégio gostam, enquanto Bruno é um nerd fofo que nutre uma paixão secreta por Bia.


Toda garota já sonhou com sua noite de princesa.

-Por que gostar de quem não gosta de você? - ela perguntou e todas as meninas começaram a rir, inclusive ela. – Meu Deus, isso é tão difícil! A gente sempre quer o cara errado. Mas por que ele não fala com você?
-Porque sou considerada nerd, mãe!
Pág.: 55

Cada capítulo é narrado a partir do ponto de vista de um personagem e isso nos dá uma visão ampla da trama e faz com que os mocinhos e vilões sejam bem definidos. O livro é de fácil compreensão e leitura, a linguagem é jovial e os curtos diálogos algumas vezes são mostrados sobre dois pontos de vistas diferentes, tornando a interpretação mais ampla e complexa. O final é um pouco previsível, entretanto acontecem algumas coisas inesperadas a ponto de fazer com que leitor se divirta e comova. Um detalhe importante que vale a pena ser citado é que a autora é nacional e alguns dos cenários descritos são reais. Os títulos dos capítulos são nomes de filmes como Garota Infernal e Encantada, o livro também contém ilustrações e uma variedade de referencias musicais, cinematográficas e literárias.

A capa é MA-RA-VI-LHO-SA, só vendo para compreender o que quero dizer, os desenhos que representam os personagens e as bolinhas que compõem a moldura possuem verniz localizado, a parte cor de rosa é feita em um material que se assemelha ao emborrachado, porém podem tocá-lo a vontade pois ele não fica facilmente marcado, a contracapa também possui desenhos com verniz localizado, a Rocco está de parabéns pelo capricho que essa edição recebeu. A diagramação está impecável, a fonte utilizada é grande e existe bom espaçamento entre as linhas, as páginas infelizmente são brancas, mas isso não incomoda devido ao tamanho das letras. Cada começo de capítulo conta com a ilustração do personagem cujo ponto de bista acompanharemos, e cada encerramento possui desenhos de estrelas. Não encontrei nenhum erro na revisão. Livro super indicado.

Abraços,
  Tamires Souza
TAMIRES DE SOUZA
É Resenhista aqui no Vida De Leitor. Desenvolveu sua paixão pela leitura ainda criança através de revistas em quadrinhos e desde então não vive sem um livro dentro da bolsa. Recém formada e sonha um dia cursar uma faculdade de Direito. Seus livros favoritos são: Série Rangers Ordem dos Arqueiros, A Seleção e a Série A Mediadora
Twitter/Facebook/Skoob - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.

Lançamentos e Divulgações #39

Saudações, caros leitores, como vocês estão?

Agosto foi um mês com diversas novidades no mundo literário, além disso, tivemos a 23ª Bienal Internacional do Livro em São Paulo. Como não podemos nos estagnar no tempo, que tal conhecermos os próximos lançamentos e as divulgações? 

A Aliança é o terceiro volume das Crônicas de Salicanda, escrita pela brasileira Pauline Alphen, que cresceu na França e atualmente mora em Paris. Aos que estavam ansiosos para dar continuidade às obras anteriores, eis uma boa noticia: lançamento previsto para setembro. O livro ainda se encontra sem capa nacional. 


Os Três Vales já não são a região pacífica onde os gêmeos Jad e Claris cresceram. O castelo foi queimado, as estradas não são mais seguras e a pequena vila isolada de Salicanda está sendo atacada por bandidos que possuem armas dos Tempos de Antes. Depois de passar um tempo na ilha, Claris volta para esse mundo quase irreconhecível e caminha sozinha em direção ao Nomadstério, para cumprir o que acredita ser seu destino: tornar-se uma Nômade da Escrita. Jad, por sua vez, é guiado por Gabriel e continua suas explorações no limbo, que também se revela um universo sujeito a surpresas e mudanças. Em Salicanda, todos os outros personagens se reúnem: Ugh, que se torna um herói contra sua vontade; Blaise, que chega acompanhado do enigmático Povo das Árvores; e Maya, que está na cidade junto com Ellel e Falcão Branco. Juntos, eles farão de tudo para compreender os diversos mistérios daquele lugar.




Mundo Novo é o romance de estreia de Chris Weitz, responsável pela direção dos filmes Crepúsculo: Lua nova e A bússola de ouro. A sinopse causa uma certa atração, mas fico meio receoso quanto ao seu conteúdo, uma vez que a tese em si já foi bem explorada em outros livros. Lançamento previsto para setembro. Ainda sem capa nacional. 




Depois que uma misteriosa doença erradicou toda a população adulta e infantil, os jovens sobreviventes dividem-se em diferentes tribos para sobreviver. Jefferson, o líder rebelde da tribo da Washington Square, e Donna, a garota por quem ele está secretamente apaixonado, se estabelecem precariamente em meio ao caos. Mas quando outro integrante da tribo descobre uma pista que pode levar à cura para a doença, cinco adolescentes partem em uma viagem para tentar salvar a humanidade.








O terceiro e último livro da trilogia O Século está para desembarcar em terras brasileiras. Eternidade por um fio é um lançamento da Arqueiro com previsão também para setembro. Aos que acompanham a série, fica a ansiedade e a tradicional espera. 

Durante toda a trilogia “O Século”, Ken Follett narrou a saga de cinco famílias – americana, alemã, russa, inglesa e galesa. Agora seus personagens vivem uma das épocas mais tumultuadas da história, a enorme turbulência social, política e econômica entre as décadas de 1960 e 1980, com a luta pelos direitos civis, assassinatos, movimentos políticos de massa, a guerra do Vietnã, o Muro de Berlim, a Crise dos Mísseis de Cuba, impeachment presidencial, revolução… e rock and roll! Na Alemanha Oriental, a professora Rebecca Hoffman descobre que durante anos foi espionada pela polícia secreta e comete um ato impulsivo que afetará sua família para o resto de suas vidas. George Jakes, filho de um casal mestiço, abre de mão de uma brilhante carreira de advogado para trabalhar no Departamento de Justiça de Robert F. Kennedy e acaba se vendo não só no meio do turbilhão da luta pelos direitos civis, como também numa batalha pessoal. Cameron Dewar, neto de um senador, aproveita a chance de fazer espionagem oficial e extraoficial para uma causa em que acredita, mas logo descobre que o mundo é um lugar muito mais perigoso do que havia imaginado. Dimka Dvorkin, jovem assessor de Nikita Khruschev, torna-se um agente primordial no Kremlim, tanto para o bem quanto para o mal, à medida que os Estados Unidos e a União Soviética fazem sua corrida armamentista que deixará o mundo à beira de uma guerra nuclear. Enquanto isso, as ações de sua irmã gêmea, Tanya, a farão partir de Moscou para Cuba, Praga Varsóvia – e para a história. Como sempre acontece nos livros de Ken Follett, o contexto histórico é brilhantemente pesquisado, a ação é rápida, os personagens são ricos em nuances e emoção. Com a mão de um mestre, ele nos leva a um mundo que pensávamos conhecer, mas que nunca mais vai nos parecer o mesmo.

Escrito por Katja Millay, O Mar de Tranquilidade pareceu-me trabalhar com romances, segredos e mistérios. 

Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar. Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele.A história de Josh não é segredo para ninguém. Todas as pessoas que ele amou foram arrancadas prematuramente de sua vida. Agora, aos 17 anos, não restou ninguém. Quando o seu nome é sinônimo de morte, é natural que todos o deixem em paz. Todos menos seu melhor amigo e Nastya, que aos poucos vai se introduzindo em todos os aspectos de sua vida.À medida que a inegável atração entre os dois fica mais forte, Josh começa a questionar se algum dia descobrirá os segredos que Nastya esconde – ou se é isso mesmo que ele quer.


Amor sem limites é o terceiro e último volume da trilogia Sem Limites, escrita por Abbi Glines. O seu lançamento esta previsto para setembro segundo a Arqueiro. Caso queira ler um trecho do livro, clique aqui

Blaire Wynn conheceu Rush Finlay num momento muito difícil da vida dela, logo depois de perder a mãe e a casa em que morava. Filho de um astro do rock, Rush vivia num mundo de luxo, sexo sem compromisso e total despreocupação com o futuro. Exatamente o oposto de tudo o que Blaire conhecia. Mesmo com tantas diferenças, a paixão entre os dois foi arrebatadora. Porém Rush guardava um segredo de sua família que levou ao fim do namoro – e a um período de tristeza absoluta para o casal. Mas eles já não sabiam viver um sem o outro e cederam de novo àquele sentimento irresistível. Agora Blaire está grávida, eles estão felizes e planejam se casar. Mas nem tudo está garantido. O pai de Rush chega trazendo más notícias e novamente os antigos problemas de família podem fazer com que os dois se afastem. Último volume da trilogia Sem Limites, que já vendeu mais de 5 milhões de exemplares no mundo todo, Amor sem limites é um livro sexy que vai fazer você acreditar que para cada problema há uma solução – e, quando se trata de relacionamento, a cama é sempre um bom local para resolver conflitos.

Escrito pela brasileira Paula Abreu, Primavera Eterna irá trabalhar os sonhos esquecidos e largados no tempo durante a nossa vida. Acredito que quem gosta de romances irá se identificar com este. Lançamento previsto para setembro. Caso queira ler um trecho, clique aqui


Maia é uma jovem publicitária bem-sucedida. Tem um emprego estável, um namoro estável, uma vidinha estável. Até demais. Certo dia, tentando imaginar como seria sua vida no futuro, o casamento, os filhos, visualiza duas crianças loirinhas correndo... Loirinhas? Então ela se dá conta de onde vem aquela cor de cabelos: Diogo, o menino por quem se apaixonou à primeira vista aos 12 anos, numa cidadezinha do interior, onde costumava passar os fins de semana com a família. Acontece que ele se mudou para os Estados Unidos há mais de dez anos, e a essa altura da vida, já nem deve se lembrar mais dela.
Mesmo assim, num impulso, Maia pede férias na agência, inventa uma viagem de trabalho como desculpa para o namorado e vai para Nova York, atrás do seu primeiro amor. Primavera Eterna é a história de uma jovem cheia de sonhos esquecidos, que ousa arriscar tudo o que tem e acaba encontrando a si mesma.



Sete dias sem fim é um livro escrito por Jonathan Tropper. Depois de ler a sua sinopse, lembrei de alguns filmes de comédias que envolviam as trágicas reuniões de famílias. Caso queira ler um trecho, clique aqui


Judd Foxman pode reclamar de tudo na vida, menos de tédio. Em questão de dias, ele descobriu que a esposa o traía com seu chefe, viu seu casamento ruir e perdeu o emprego. Para completar, seu pai teve a brilhante ideia de morrer. Embora essa seja uma notícia triste, terrível mesmo é seu último desejo: que a família se reúna e cumpra sete dias de luto, seguindo os preceitos da religião judaica.
Então os quatro irmãos, que moram em diversos cantos do país, se juntam à mãe na casa onde cresceram para se submeter a essa cruel tortura. Para quem aprendeu a vida inteira a reprimir as emoções, um convívio tão longo pode ser enlouquecedor.
Com seu desfile de incidentes inusitados e tragicômicos, Sete dias sem fim é o livro mais bem-sucedido de Jonathan Tropper. Uma história hilária e emocionante sobre amor, casamento, divórcio, família e os laços que nos unem – quer gostemos ou não.




Champion é o tão aguardado desfecho da trilogia Legend, escrita pela aclamada escritora Marie Lu. Aos fãs que acompanham a série, fica o aguardo. Lançamento previsto, segundo a Rocco, para setembro. Confira capa e sinopse

No emocionante desfecho da trilogia Legend, June ocupa uma posição privilegiada no governo e Day trocou a alcunha de criminoso mais procurado do país pela de herói nacional. Mas quando tudo parece conspirar a favor da paz, a ameaça da guerra ressurge na forma de um vírus mortal que começa a espalhar o pânico entre as colônias. Em Champion, a vida de milhares de pessoas está novamente nas mãos de June, a menina-prodígio da República. Mas salvá-las significa também enfrentar novos desafios e exigir novos sacrifícios de seu amor. O livro chega ao Brasil pelo selo Rocco Jovens Leitores, que relança também os dois primeiros volumes da série, Legend e Prodigy.








Escrito pelo brasileiro Eduardo R Costa, VEKI: O despertar de um mago, lançado em 2013, é o primeiro da série VEKI. A trama em si trabalha magia, descobrimentos e aventuras em busca do despertar. Caso queira conhecer mais o trabalho do autor, acesso o site oficial do livro aqui. Além disso, ele dispõem de uma page no Facebook, aqui, e um canal no You Tube, aqui


“Crescia em mim uma energia nunca sentida parecendo vir das entranhas da terra, subindo pelas minhas pernas, circundando todo o meu corpo. Em um instante tudo se calou. Um silêncio profundo me fez abrir os olhos. A sensação que tive era de um poder descomunal como se eu pudesse controlar todas as forças da natureza. Parecia que eu estava com o dobro do meu tamanho normal. Era como se internamente eu fosse ainda aquele menino, mas expandido na forma de um homem com quase 3 metros de altura”. A MAGIA existe? Podemos realmente senti-la? Como um garoto poderia revelar à humanidade as verdades da magia contidas nas leis do universo? Se nem mesmo ele consegue lembrar-se plenamente desse conhecimento? Como apenas um aprendiz poderia combater os males que o medo proporciona e todos aqueles que usam desse recurso para o seu próprio benefício? Se até ele precisa aprender a combater os seus próprios medos? A resposta é: Uma jornada em busca de seu próprio DESPERTAR. VEKI – O DESPERTAR DE UM MAGO, é uma batalha travada contra o lado sombrio que existe no universo. E a vitória só pode ser conquistada quando a luz predomina. “Por mais sombrios que possamos nos tornar, (...), sempre existirá um ponto de luz nos nossos corações”. Será que de alguma forma nós também temos esse lado? Quem irá vencer

Roda-Gigante é um livro escrito pela brasileira Emanuele Oliveira e é dividido em seis histórias que abordam o amor de uma forma contemporânea. Atualmente, o livro se encontra somente em eBook, que pode ser adquirido na Google Play (aqui), Kobo Books (aqui) e na Amazon (aqui). 


A chegada de um misterioso convidado especial é a única coisa que une, em princípio, os seis protagonistas de Roda-Gigante. Com temas como: solidão, ousadia, romantismo, perseverança e indecisão, descobriremos e enfrentaremos junto de cada personagem os desafios da vida cotidiana, das novas experiências e suas consequências. O desafio de viver em uma roda-gigante.











Então pessoal, esses foram alguns lançamentos e algumas divulgações. Espero que algum tenha lhe agradado. 

Abraços,
Gustavo Demétrio
GUSTAVO DEMÉTRIO
É Resenhista e CDC aqui no Vida De Leitor. Um ávido leitor que sonha um dia se tornar um Arquiteto de renome. Admirador do universo e grande fã do Stephen King. Seus livros favoritos são: Série Torre NegraTigana, Sherlock Holmes Sob a Redoma. 
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.

Confesso que Menti - Justine Larbalestier

Saudações, caros leitores, como vocês estão?

Um coisa posso afirmar: sinopses tem um grande poder de persuasão. Confesso que Menti, da autora Justine Larbalestier, apresenta uma premissa interessante, misteriosa e que até então nunca havia lido. Entretanto, confesso que minha animação já não era a melhor, e depois que comecei a ler, ela literalmente desabou da ponte mais alta, posto que notei uma narrativa arrastada e repetitiva.  




Micah Wilkins é uma mentirosa compulsiva. Para ela, mentir é tão natural quanto respirar. Por isso é preciso prestar muita atenção a seu relato e desconfiar de tudo o que ela disser. Por que ela mente? É um segredo que envolve o outro. Tudo começou quando ela nasceu com a doença da família. E desde então Micah criou um labirinto de mentiras para manter todos afastados da única e terrível verdade. Mas quando seu namorado Zach é encontrado morto em circunstâncias violentas e misteriosas, o comportamento nada confiável da menina a transforma na principal suspeita do crime. Agora, para desvendar essa trama e provar sua inocência, Micah Wilkins promete contar apenas a verdade e nada mais que a verdade.





Nessa trama passamos a conhecer Micah Wilkins, uma adolescente de 17 anos que, quando ingressou para o colégio, fingiu ser um menino para ter maior participação e interatividade com os meninos. Depois de descoberta, passa a ter fama de mentirosa, e assim acaba inventando outras mentiras para esclarecer a primeira. Apesar de sua impopularidade positiva, Micah passa a conhecer e a namorar fora dos portões, Zach, um dos rapazes mais populares da escola e que, acreditem ou não, namora Sarah. Um certo dia, o diretor aparece na sala de sua turma avisando de que o corpo de Zach fora achado no Central Park. Nisso, uma grande comoção por parte dos alunos está para surgir, o que leva muitos a apontarem Micah como uma grande suspeita.

Capa estrangeira
"Eu sabia a resposta para essa pergunta, mas não levantei a mão. É porque os adultos não se lembram de quando eram adolescentes. Não de verdade. Eles se lembram de algo que parece ter saído de um filme da Disney e querem nos manter lá. Não gostam de pensar nos nossos hormônios ou que podemos sentir cheiro de sexo uns nos outros. Que andamos pelos corredores explodindo com um milhão de feromônios diferentes. Que nos vemos, de relance, e o mais breve olhar manda um arrepio por nossos corpos até as partes que nossos pais não queriam que existissem."
Pág. 121 

Confesso que Menti se mostrou do começo ao fim um livro bem mediano, apresentando uma estruturação precária e deficiente, uma vez que a autora não soube de forma coerente utilizar da possibilidade de narrar os acontecimentos que antecedem o presente momento. Narrado em primeira pessoa, os capítulos oscilam entre o passado e a atualidade depois da morte de Zach, sendo reconhecidos através dos subtítulos "Antes" e "Depois" presente no começo de cada um. Outro aspecto a ser mencionado diz respeito ao "Histórico Familiar e Pessoal" da Micah, visto que nessa parte gostei do posicionamento da autora em relação aos seus personagens, tais como as informações ali contidas que se mostraram essenciais para o entendimento do contexto da vida da protagonista e o que a levara a praticar a arte da mentira.

Entretanto, percebi uma certa repetição de ideias que acabaram por cansar a minha leitura, assumindo uma postura arrastada e que transpareceu deficiência na estruturação no decorrer da leitura. Um exemplo mais visível: a morte do Zach. Os personagens não demonstram empatia para o leitor, não selando aquela relação de amor e ódio, mas sim, somente de antipatia. Ademais, a questão do não saber o que é verdade e mentira foi uma sacada interessante, já que ela nos proporciona questionamentos sobre as consequências que isso por inferir na relação da sociedade como um todo.

Justine Larbalestier, autora do livro
"Rondei a árvore em silêncio. Não tinha aquela sensação de estar sendo observada. Zach estava lá em cima. Talvez tivesse adormecido. Já havia acontecido. Ele treinava tanto, ficava tanto tempo acordado fazendo os deveres de casa que frequentemente só dormia três ou quatro horas por noite. Eu já o tinha visto dormir nas aulas, no almoço. Às vezes quando corríamos , ele chegava a quase dormir em pé. Se tivesse aceitado uma bolsa em função das habilidades esportivas, poderia dormir o quanto fosse necessário, mas ele queria uma bolsa por sua inteligência."
Pág. 219

O final foi compensatório, mas devo dizer que nem isso acabou mudando minha classificação do livro. Claro que não irei comentá-lo, justamente pela absurda quantidade de spoilers que ali se encontram, além do mais, não quero estragar as surpresas. Confesso que Menti é um livro enigmático, questionador e com uma proposta original, porém, com algumas características negativas que o tornam uma obra mediana.

Alguns aspectos quanto a diagramação não me agradaram, um vez que o espaçamento das margens superiores e inferiores das páginas não estão legais (quase uma edição econômica), contudo, apresenta um tamanho de fonte agradável. Acredito que a edição poderia ter recebido um tratamento melhor, já que título do livro não apresentam auto-relevo, deixando a capa pobre em detalhes. Recomendo que cada um leia e tire suas próprias conclusões.

- Caso queira ler um trecho do livro, clique aqui

Abraços,
Gustavo Demétrio
GUSTAVO DEMÉTRIO
É Resenhista e CDC aqui no Vida De Leitor. Um ávido leitor que sonha um dia se tornar um Arquiteto de renome. Admirador do universo e grande fã do Stephen King. Seus livros favoritos são: Série Torre NegraTigana, Sherlock Holmes Sob a Redoma. 
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.

A Guerra dos Fae: Chamado às Armas - Elle Casey

Saudações, caros leitores, como vocês estão?

No começo desse ano eu havia lido As Crianças Trocadas, primeiro volume da saga A Guerra dos Fae, do qual havia gostado, como podem perceber na resenha do mesmo - aqui. Contudo, alguns aspectos quanto a trama não me agradaram em Chamado às Armas, sobretudo, alguns clichês já apresentados em outros livros.


Chegou a hora da guerra no segundo volume da série "A Guerra dos Fae! Em Chamado às Armas", os Fae da luz são convocados a fazer uma importante mudança e treinar seus dons mágicos para enfrentar os Fae das Trevas. Jayne Sparks e seus amigos Spike, Chase, Finn e Becky estão na iminência de uma guerra sangrenta e devem sofrer uma mudança, como crianças trocadas, para serem membros dos Fae da Luz com identidades mágicas. Poderão se transformar em elfos, ninfas, daemons, íncubos, anões e duendes verdes, querendo ou não aceitar suas novas identidades, desapontando-se com elas ou não. Como será resolvida a questão entre os Fae da Luz e os Fae das Trevas? Serão Jayne e seu grupo de amigos capazes de dar conta de uma missão tão espinhosa? Muitas respostas a estas perguntas, e outras tantas que foram provocadas pelo primeiro volume da série, serão respondidas aos leitores. E surgirão novos e fascinantes enigmas.



Continuando exatamente do ponto onde a trama havia parado no primeiro volume, em Chamado às Armas vemos a conclusão da decisão que Tony havia tomado no final do livro anterior, de não se tornar uma Criança Trocada, consequentemente, tendo sua memória apagada e sendo designado a voltar para casa. Depois de alguns falatórios, havia chegado a hora de Jayne, Spike, Chase e Finn descobrirem de qual raça dos Fae eles pertencem. Para isso, foi utilizado um amuleto que interage com o sangue deles, responsável pela ativação de seus lados Fae. Havia um porém, Jayne, que havia emitido uma luz estranha, mostrando que possivelmente ela seja diferente dos demais. Já cientes de quais espécies são, eles serão treinados por representantes de sua respectiva linhagem, para assim poderem confrontar diretamente os Fae das Trevas. Irão eles conseguir?

"O belo penetra por toda parte, mesmo no silêncio e nas trevas." - Helen Keller *
"Aquela que estão procurando? Procurando para quê? Não reconheci a quem pertenciam aquelas vozes, mas deu para notar que uma era masculina e outra feminina. A palavra "eliminar" soava ameaçadora. Estariam se referindo a crianças trocadas? Fae? Será que estou na lista de eliminação deles? Meu coração batia tão alto, que tive medo de que eles ouvissem. Rezei para que continuassem andando e não decidissem, de repente, que precisavam fazer xixi ou algo do gênero."
Pág. 38

Parece maldição, não há mais explicação científica para o fato de quase todo segundo livro de série ser pior que o primeiro! O primeiro volume me conquistou a ponto de colocá-lo como um dos meus favoritos, porém, Chamado às Armas acabou ficando bem mediano quanto a minha classificação. Digamos que alguns aspectos quanto a protagonista deixaram a desejar e não me convenceram. A personalidade de Jayne bipolar em As Crianças Trocadas chegava a ser divertida, justamente por suas falas trazerem um pouco de realismo, afinal, o ser humano nem sempre se mantém em diálogos formais. Mas neste livro percebemos que seus falatórios são oscilantes, ora formais, ora desbocados, deixando transparecer algo forçado, uma vez que isso acontece de uma linha para a outra.

As características narrativas continuam as mesmas, portanto, os fatos são apresentados sobre o ponto de vista da protagonista. Um dos aspectos que chamou minha atenção neste volume foi justamente o aproveitamento e aprofundamento na trama, principalmente o que tange o passado do povo da floresta, expondo mais detalhes e interpretações dos mesmos. Apesar da criatividade, inovação foi uma palavra que faltou nessa trama, venhamos e convenhamos, seria tão louvável vermos um personagem secundário crescer adequadamente durante o decorrer da leitura, assim como aconteceu com Jared no livro anterior, sem tornar tanto o enredo, quanto as personalidades dos personagens, previsíveis demais, afinal, esperamos ser surpreendidos, não levados a coisas dedutíveis.

Elle Casey, autora do livro
"- Não! Você faz o que é certo para você. Ele faz o que é certo para ele. Às vezes, o que é certo os reúne. Às vezes, separa. A única coisa que você tem é a honestidade. Seja honesta consigo mesma agora. Qual é seu desejo mais profundo?"
Pág. 295

Chamado às Armas tem seus pontos fortes e fracos, o que culmina em um livro mediano, porém não deixa de ser uma boa leitura, justamente por termos seres fantásticos. A série A Guerra dos Fae é composta  por quatro livros, dessa forma não temos um final definitivo e comentar sobre o deste seria um grande spoiler. Darkness & Light, em tradução literal: Escuridão & Luz, é o nome do terceiro volume.

A diagramação emprega as mesma características apresentadas no primeiro livro, consequentemente contamos com um tamanho de fonte mediana e um agradável espaçamento de linhas. A edição conta com uma ilustração na capa que a meu ver poderia ter sido mais trabalhada, a obra também possui páginas amareladas e títulos com verniz localizado. Em relação a revisão, não encontrei erros. Recomendo que cada um leia e tire suas próprias conclusões.

*Créditos da imagem por CassiopeiaArt.

Abraços,
Gustavo Demétrio
GUSTAVO DEMÉTRIO
É Resenhista e CDC aqui no Vida De Leitor. Um ávido leitor que sonha um dia se tornar um Arquiteto de renome. Admirador do universo e grande fã do Stephen King. Seus livros favoritos são: Série Torre NegraTigana, Sherlock Holmes Sob a Redoma. 
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.

Promoção Infinity Ring



Hey pessoal, tudo bem?

O Gustavo publicou recentemente a resenha do quarto livro da série Infinity Ring - aqui - e pensamos que seria uma boa sortear para quem ainda não começou a série um exemplar do primeiro livro. Para concorrer é simples, basta preencher a primeira entrada, que é LIVRE, e você já está participando. Contudo, caso queira mais chances de ganhar, assim que a referida entrada for preenchida, as EXTRAS serão liberadas e algumas delas podem ser usadas todo dia, ou seja, muito mais chances para você!

A opção "tweet about the giveawey" é renovada a cada 24 horas, ou seja, todo dia que você tweetar a frase e preencher essa entrada, seu nome será adicionado mais vezes.

Qualquer dúvida quanto ao uso do formulário basta entrar em contato pelos comentários ou pela aba de "Contado" no menu do blog

a Rafflecopter giveaway

Parabéns Marcos! Um e-mail foi enviado e você deve responder em até 48 horas. Caso não o faça no tempo citado, um novo sorteio será realizado. 


Importante

  1. O ganhador deverá responder ao e-mail que mandarmos em até 48 horas. Caso não o faça um novo sorteio será realizado.
  2. O livro será ENVIADO em até 30 dias úteis.
  3. O blog não se responsabiliza por danos ou extravios causados pelos Correios.
  4. Caso o ganhador forneça o endereço errado e o pacote retorne, o mesmo perderá o direito ao prêmio.
  5. O ganhador deve ser residente e domiciliado em território nacional.
  6. O ganhador que descumprir alguma das regras será desclassificado.

"Que a sorte esteja sempre a seu favor!!"

Abraços,
  Matheus Braga
MATHEUS BRAGA
É Administrador e Resenhista do Vida de Leitor. Cursa o 9º período de Direito na UNIPEL e sonha em se tornar juiz um dia. É apaixonado por livros e possui em sua humilde coleção títulos que vão de Fiódor Dostoiévski a Cinda Willians Chima. Seus livros favoritos são: O Nome do VentoA Descoberta das BruxasThe Summoning, Hunger GamesWithe Cat e Contos de Meigan - A Fúria dos Cártagos
Twitter/Facebook/Skoob/Instagram - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.

Álbum de Casamento - Nora Roberts


Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Sabe quando você vê um livro e percebe que está apaixonado por ele sem nem mesmo tê-lo lido? Foi exatamente isso que aconteceu comigo quando vi Álbum de Casamento. Sou daquele tipo de garota que suspira só de ouvir a palavra casamento, portanto tamanho interesse é facilmente justificável, contudo fiquei ainda mais instigada quando percebi que a história foi escrita por Nora Roberts. Como estava muito ansiosa para ler esse livro, o meu único temor era de que a história não atendesse minhas expectativas.



Com várias capas de revistas de noivas no currículo, a fotógrafa Mac é especialista em captar os momentos de pura felicidade, mesmo que nunca os tenha experimentado em sua vida. Por causa da separação dos pais e de seu difícil relacionamento com eles, Mac não leva muita fé no amor. Por isso não entende o frio na barriga que sente ao reencontrar Carter Maguire, um colega de escola com o qual nunca falara direito. Carter definitivamente não é o seu tipo. Professor de inglês apaixonado pelo que faz, ele cita Shakespeare e usa paletó de tweed. Por causa de uma antiga quedinha por Mac, fica atrapalhado na frente dela, sem saber bem como agir e o que falar. E mesmo assim ela não consegue resistir ao seu charme. Agora Carter está disposto a ganhar o coração de Mac e convencê-la de que ela é capaz de criar suas próprias lembranças felizes.




Desde crianças Mac, Parker, Emma e Laurel brincavam de planejar casamentos, durante uma dessas brincadeiras a paixão de Mac pela fotografia acabou se revelando; decidida a contrariar a avó que havia dito que ela não usaria a Nikon que tinha ganhado de presente do pai e enjoada de brincar de casamento Mac decide que não quer participar da cerimônia como "daminha" de honra e acaba sendo nomeada a fotógrafa oficial, sem saber exatamente o que estava fazendo ela acaba tirando a fotografia que viria a influenciar na sua escolha profissional.

Anos se passam e as quatro amigas montam uma empresa que qualquer noiva gostaria de contratar para planejar seu casamento. Mac lida com as fotografias e apesar de trabalhar rodeada por pessoas que acreditam no amor como um sentimento duradouro, ela prefere acreditar que com o tempo o divórcio e desgaste emocional são inevitáveis. Esse pensamento está implantado nela graças a sua mãe, Linda, uma mulher que teve inúmeros relacionamentos desastrosos e jamais se preocupou com a filha. Quando Sherry decide contratar a Votos para realizar seu casamento, Mac acaba reencontrando Carter, um rapaz que nutria por ela uma paixão de adolescente e que ao revê-la percebe que o que sentia ainda existe.

Em momentos decisivos, nossos sentimentos se revelam.
Filmes, pensou – especialmente os românticos -, devem ter final feliz. Porque a vida, com muita freqüência não tinha. O amor se dissipava ou se transformava em ódio. Ou ia parar em algum lugar entre essas duas coisas, uma espécie de indiferença dolorosa.
Pág. 89

Quem gosta de romance, pelo menos uma vez na vida já deve ter ouvido o nome de Nora Roberts, vez que ela é uma das maiores escritoras de livros do gênero e suas histórias estão sempre entre as mais vendidas do The New York Times. A história de Álbum de Casamento é bem ambientada e faz com que o leitor se sinta dentro de cada cenário descrito, a narrativa é em terceira pessoa e foca nos pontos de vista de Mac e Carter e com isso o leitor tem visão ampla do contexto que se desenvolve de forma fluida e ritmada.

As características de cada personagem são bem definidas e conforme o enredo vai se desenrolando percebemos que eles vão evoluindo e ganhando traços ainda mais fortes. Mac é o tipo de protagonista cabeça dura que se espelha no passado para construir seu futuro, por isso ela acredita que fotografias são formas de guardar momentos e sentimentos que se perderão com o tempo. Apesar de tímido, Carter é extremamente encantador, fiquei fascinada pela forma como ele expressa afeto por Mac e está sempre disposto a apoiá-la, é impossível não se apaixonar por ele. Linda é o tipo de personagem que existe para ser odiada e posso dizer que ela consegue despertar no leitor seu mais profundo ódio por meio de suas atitudes.

Fotografias são a melhor maneira de guardar aquilo que o tempo insiste em distorcer.
- Não tinha planejado ficar sozinho para sempre - disse ao gato. – Mas tinha muito tempo pela frente, não tinha? Tempo para curtir uma certa rotina, para curtir a minha casa, o meu trabalho, a liberdade de ser solteiro. Mal acabei de fazer 30 anos, pelo amor de Deus. E estou falando com um gato, coisa que não almejo fazer nas noites do resto da minha vida. Sem ofensa. Mas ninguém precisa se acomodar assim. Ficar com alguém só porque a alternativa é ficar sozinho. O amor não é um conceito amorfo criado pelos livros e pela poesia e impossível de existir. É real, vital e necessário. Caramba, isso muda tudo. Tudo. Não posso ser o que era antes de amá-la. É ridículo para qualquer um esperar isso.
Pág. 206

A conclusão do enredo é emocionante e satisfatória, estou ansiosa para ler o próximo volume da série no qual conheceremos a história de amor de Emma; através do pouco que li a respeito dessa personagem já pude ter uma ideia de que sua história será bem divertida. É claro que já iniciamos a leitura tendo em mente que o desfecho será algo previsível, a ideia de que os romances seguem a estrutura: mocinha tem uma vida complicada, conhece um rapaz lindo, supera os traumas e vive feliz para sempre, está impregnada em nossas mentes, e não vou dizer que isso de fato não ocorre na maioria dos livros do gênero, mas Nora consegue transformar uma premissa clichê em algo único e fascinante que nos arremata desde a primeira página.

A capa é linda e bastante chamativa, o nome da autora é em verde metalizado e a lombada em verde escuro com certeza deve deixar a estante muito bonita quando colocada ao lado dos demais volumes da série. A diagramação é agradável aos olhos, as páginas são em tom amarelado e a fonte é de tamanho mediano, os capítulos não são separados em páginas diferentes, mas isso não me incomodou e acredito que a Arqueiro fez um excelente trabalho nessa edição. Não encontrei nenhum erro de revisão. Leitura recomendada.

Abraços,
  Tamires Souza
TAMIRES DE SOUZA
É Resenhista aqui no Vida De Leitor. Desenvolveu sua paixão pela leitura ainda criança através de revistas em quadrinhos e desde então não vive sem um livro dentro da bolsa. Recém formada e sonha um dia cursar uma faculdade de Direito. Seus livros favoritos são: Série Rangers Ordem dos Arqueiros, A Seleção e a Série A Mediadora
Twitter/Facebook/Skoob - Blogvidadeleitor@gmail.com
Observação: Caso o formulário de comentário não esteja visível, atualize a página.