Mais Um Vício: Gravity Falls

Hey pessoal, tudo bem?

Como muitos de vocês sabem, muitas das nossas séries favoritas estão em hiatus e, com exceção de Teen Wolf, não acompanho muito outras séries da Summer Season. Como não vivo sem assistir pelo menos um episódio por dia, comecei a procurar nos confins obscuros da Netflix algum cartoon/anime/série que me agradasse e acabei esbarrando nesse meu mais novo vício.


Gravity Falls: Um Verão de Mistérios é uma série criada por Alex Hirsch e narra as aventuras de dois irmãos gêmeos, Dipper e Mabel Pines, cujos planos para as férias de verão são arruinados quando os seus pais resolvem enviá-los para visitar seu Tio-avô, Stan, em Gravity Falls, Oregon. Stan vive e gerencia a Cabana do Mistério, uma armadilha para turistas que cobra de visitantes azarados por um vislumbre de um museu que é (segundo o próprio Stan) o mais bizarro do mundo. Contudo,  Dipper encontra um antigo manuscrito que relata todas as coisas sobrenaturais que acontecem em Gavity Falls, o que dá inicio a uma aventura que vai desde Mabel sendo escolhida para ser a Rainha dos gnomos, até a existência de um CD que faz lavagem cerebral em quem o escuta. Mistério é o que não falta nessa cidade dos horrores.


"Ah, Matheus, mas isso é desenho e é pra criança". Sim e não. Normalmente desenhos são destinados a um publico mais juvenil, mas esse conceito já vem mudando ao longo das últimas décadas e a prova  disso são os animes e as animações do cinema, ou seja, não há mais um único público alvo, assiste quem gosta. O que torna esse cartoon diferente dos demais é que seu humor é inteligente e o traço dos desenhos é muito bem feito. É a típica história que consegue misturar vários mistérios sobrenaturais a um humor tão idiota que chega a ser engraçado.

Os personagens são bem construídos e possuem as mais variadas personalidades. Dipper é o irmão mais centrado, responsável e que está sempre no comando, ao passo que Mabel é mais aérea e não pode ver algo brilhante que já perde a noção de realidade. Stan consegue inventar os mais variados golpes para tirar dinheiro dos turistas e até mesmo o porco de estimação deles tem seus minutos sob os holofotes. É uma série para todos os gostos. Confira abaixo o trailer:


Todos os episódios da primeira temporada já estão disponíveis na Netflix. Corre lá, garanto que vai ser diversão para todas as idades. ^_^

Contos de Suspense: Histórias Para (Con)gelar Seu Sangue

Saudações, caros leitores, como vocês estão?
Se há uma coisa que eu não posso negar é a minha apreciação por histórias de suspense e horror. Acredito que isso se deva ao fato delas sempre me causarem sensações e reações que deixam a leitura mais divertida e interativa. Desta forma, digo que Contos de Suspense: Histórias para (con)gelar seu sangue foi uma grande surpresa, uma vez que não tinha muitas expectativas para com a obra, apesar dos grandes nomes que dão vidas aos contos aqui presentes. 







Contos de Suspense - Narrativas de suspense são histórias que há séculos fascinam e capturam a imaginação dos leitores, do início até o desfecho. Selecionamos os melhores contos dos mestres do suspense Edgar Allan Poe, H. P. Lovecraft, Phil Robinson, Ambrose Bierce e H. G. Wells.








Aos que não sabem, o livro é uma coletânea de contos escritos por grandes personalidades, tais como Edgar Allan Poe, Ambrose Bierce, H. P. Lovecraft, dentre outros. A organização e a tradução das histórias ficaram por conta da dupla Martha Argel e Rosana Rios. Em uma breve introdução elas explicam como surgiu e como surgem tais narrativas, além de apresentar aos leitores uma definição da palavra suspense. A principal preocupação que elas tiveram foi com a tradução, uma vez que elas queriam levar aos leitores um material que se assemelhasse à ideia original dos autores, bem como explicar, por meio de notas de rodapé, alguns momentos históricos e termos cujo significado pode ter sido alterado no decorrer dos séculos.

Nunca sabemos o que podemos encontrar na escuridão até sentir sua presença.

A tensão que dominava minha mente era agora medonha. Fantasias descontroladas conjuravam formas horrendas e assustadoras saindo da escuridão sinistra que me envolvia, e que parecia exercer uma pressão física sobre meu corpo.
Mais e mais, os passos pavorosos se aproximavam.
Senti que deveria gritar, mas, ainda que estivesse determinado a fazê-lo, minha voz não me obedeceria. Eu estava petrificado, enraizado ali. Duvidava até que, no momento crucial, meu braço direito concordasse em arremessar o projétil contra a coisa que se aproximava.
Pág.: 36 | A Fera na Caverna

A ordem dos contos foi feita da seguinte forma: A Caixa Oblonga (Edgar Allan Poe), A Fera na Caverna (H. P. Lovecraft), A Árvore Comedora de Gente (Phil Robinson), O Homem e a Serpente (Ambrose Bierge) e O Tesouro na Floresta (H. G. Wells). Vale ressaltar que os três primeiros são narrados em primeira pessoa e em forma de relatos, não havendo muitos diálogos (ou quase nenhum). Em suma, são narrativas que não são muito simples, mas também não apresentam muita complexidade, no entanto conseguem causar reações e sensações no leitor, além de surpreender pelas qualidades textuais e riqueza de detalhes presentes. Por não terem sido escritos por autores contemporâneos, a linguagem presente se distância bastante da atual, há muitas metáforas e alusões, além de termos  desconhecidos, o torna necessário a leitura das notas de rodapé já citadas. 

A Fera na Caverna, escrito por H. P. Lovecraft está dentre os contos que mais gostei desta seleção. Nele conhecemos um jovem que acaba se perdendo dentro dos labirintos da caverna Mammoth, que é considerada a maior do mundo, com seus túneis mapeados chegando a 630 quilômetros. Acreditando na morte ocasionada pela fome e sede, ele começa a ouvir passos vindos em sua direção e que não era algo bom. O que mais chamou a minha atenção nesta história foi seu final, simplesmente surpreendente e chocante. Claro que gostei dos demais contos, como o de Poe e o de Ambrose, até mesmo porque todos apresentam características e qualidades diferentes e isso é o que torna a coletânea tão interessante.  

O medo sempre mora embaixo da cama.

A horrenda cabeça, projetada à frente a partir da volta mais interna do corpo e pousada sobre a mais externa, apontava direto para ele, com a curva da mandíbula ampla e brutal e a testa de animal estúpido indicando a direção de seu olhar malévolo. Os olhos não eram mais meros pontos luminosos: fitavam os dele cheios de intenção maligna.
Pág.: 59 | O Homem e a Serpente 

Apesar de eu ter citado que os contos causam reações e sensações no leitor, digo que não são histórias assustadoras, podendo ser lidas facilmente por aqueles que sentem medo desse tipo de história. Claro que há aquela com maior intensidade, mas todas conseguem te prender do início ao fim. Desta forma, deixo a minha recomendação tanto aos amantes de suspense, como também para aqueles que estão curiosos para se aventurar nesse tipo de leitura. 

A diagramação está bem trabalhada, contando com um agradável tamanho de fonte, um ótimo espaçamento entre linhas e belas ilustrações feitas por Samuel Casal, presentes no começo de cada conto e que remetem o seu conteúdo. Já na edição temos páginas com aspecto envelhecido, mas puxando para uma tonalidade de verde, acredito que seja para combinar com bela capa. No encerramento do livro encontramos uma breve biografia de cada autor, das organizadoras/tradutoras e do ilustrador. Não encontrei nenhum erro aparente na revisão.

Redenção e Submissão - Nana Pauvolih (18+)

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

A história se inicia no Catana, um clube mega exclusivo que Matheus e seus dois melhores amigos frequentam desde que completaram dezoito anos. Por muito tempo Matt tentou entender os motivos que o levavam a ser um dominador, até que compreendeu que, assim como Yin e Yang, ele também tinha dois lados: um que foi criado por pais amáveis com quem aprendeu a ser sensato, educado, bondoso e romântico, sendo essa a personalidade que a maior parte das pessoas o conhece; e o outro lado revelava um dom mestre em Shibari e chicotes longos, sedento por controle e em busca de uma submissa perfeita.




Se em Redenção de um cafajeste, estreia de Nana Pauvolih na Rocco pela coleção Violeta, do selo Fábrica231, o foco era a relação de Arthur e Maiana, agora, no segundo livro da trilogia, a autora volta a atenção para Matheus Sá de Mello, um dos melhores amigos de Arthur. Mais conhecido por Matt, ele concilia a aparência de bom moço e uma rotina normal com sessões de sexo recheadas de sadomasoquismo no Clube Catana. Numa dessas noitadas, ele conhece Sophia, bela morena que é uma típica dominatrix. Mas a atração sexual é apenas a ponta do iceberg que vai unir os dois. Em Redenção e submissão, Nana Pauvolih mostra, mais uma vez, por que se tornou um fenômeno da autopublicação no segmento erótico nacional, com uma trama recheada de sexo e romance.





Por ser linda e sedutora, Sophia está acostumada a atrair os olhares de todos os homens por onde passa, uma mulher que apesar de ter tido uma infância traumática batalhou muito para se tornar bem sucedida e nunca se deixar submeter. Em sua primeira visita ao Catana ela vê Matt e julga que ele tem tudo o que ela procura em um submisso, mas ao descobrir que ele também é um dominante decide que irá mudá-lo. Assim se inicia uma verdadeira batalha entre um casal de gostos idênticos que provará que não são apenas os opostos que se atraem.

A arte da dominação não é para todos.

Seus olhos eram de um anjo. Cálidos, quentes, ternos. Não dava para ver cor, mas eram claros, talvez de um tom mel ou verde. E infinitamente doces, puros, lindos. Era impossível não fitar aqueles olhos e pensar em doçura, bondade e... submissão. Eram olhos de um submisso a espera da mulher certa, que mostraria a ele o que era o desejo absoluto, a entrega perfeita. E essa mulher era eu.
Pág.: 53

Desde o primeiro volume dessa trilogia me vi fisgada pela narrativa de Nana Pauvolih, estou acostumada a ler livros que abordam as práticas de BDMS e em grande parte deles vi a mulher como submissa, o diferencial desse é que a protagonista é uma Dominatrix e por isso gosta de assumir o controle da relação e submeter seu parceiro. Outro ponto que me agradou bastante foi a preocupação da autora em explicar com riqueza de detalhes as características de uma prática de Dominação e Submissão para quem não conhece absolutamente nada desse assunto, ou que imagina que esse fetiche é limitado a algemas, chicotes e ordens, mostrando que tal prática vai muito além disso.

Não sei se foi porque ele me faz lembrar de uma pessoa que conheço ou se foi apenas pelo fato de ser um personagem bem construído que me vi completamente encantada por Matt, definitivamente ele se tornou um dos meus protagonistas favoritos. Com olhos verdes, cabelos loiros e um jeito romântico capaz de conquistar qualquer mulher, ele é o equilíbrio perfeito entre um anjo e um demônio. Sophia é uma personagem admirável, sempre gostei de mulheres fortes, decididas e cheias de atitudes, daquelas que sabem bem o que quer e simplesmente vão atrás. A história do passado dela é um dos pontos mais altos do livro e justifica o porquê de ser tão arisca.

Ser amarrado, chicoteado e submetido, essas coisas não eram pra mim. Não faziam parte da minha personalidade nem do meu desejo. Por isso, não via como eu e Sophia poderíamos nos entender sem que um dos dois cedesse. E não seria eu.
Pág.: 89

Estou super ansiosa para ler o último volume, cada um dos três amigos apresenta características tão opostas que chega a ser impossível não ficar intrigada para conhecê-los um pouco mais. Até o momento o Matheus é o que mais me encantou e na história dele percebemos o quanto Arthur está feliz com a vida ao lado de Maiana, e que Antonio é o mais misterioso, reservado e infeliz do grupo. Eu adoro romances eróticos e essa trilogia é de tirar o fôlego, estou louca para ler mais alguns livros dessa autora.

A capa é LINDA, na parte da frente encontramos o belo Matt e na de trás a sedutora Sophia, e próximo a cada um eles há um breve resumo que nos apresenta suas principais características. A borda das páginas em cor de rosa confere a esse volume um charme a mais tendo em vista que essa é uma edição bastante caprichada que conta com uma diagramação impecável e nenhum erro de revisão. Leitura recomendada.


Promoção: O Despertar do Príncipe - Colleen Houck


Hey pessoal, tudo bem?

Quer levar para casa um exemplar desse livro maravilhoso? Para concorrer é simples, basta preencher a primeira entrada, que é LIVRE, e você já está participando. Contudo, caso queira mais chances de ganhar, assim que a referida entrada for preenchida, as EXTRAS serão liberadas e algumas delas podem ser usadas todo dia, ou seja, muito mais chances para você!

A opção "tweet about the giveaway/ tweetar uma mensagem" é renovada a cada 24 horas, ou seja, todo dia que você tweetar a frase e preencher essa entrada, seu nome será adicionado mais vezes.

Qualquer dúvida quanto ao uso do formulário basta entrar em contato pelos comentários ou pela aba de "Contato" no menu do blog.

OBSO formulário do Rafflecopter sofreu alterações nas entradas EXTRAS para curtir a página no Facebook. Para que tal entrada seja validada, é necessário CURTIR a página, e não só visitá-la como manda o formulário.

a Rafflecopter giveaway
Importante

  1. O ganhador deverá responder ao e-mail que mandarmos em até 48 horas. Caso não o faça um novo sorteio será realizado.
  2. O livro será ENVIADO em até 30 dias úteis pela editora.
  3. O blog não se responsabiliza por danos ou extravios causados pelos Correios.
  4. Caso o ganhador forneça o endereço errado e o pacote retorne, o mesmo perderá o direito ao prêmio.
  5. O ganhador deve ser residente e domiciliado em território nacional.
  6. O ganhador que descumprir alguma das regras será desclassificado.

"Que a sorte esteja sempre a seu favor!!"

O Despertar do Príncipe - Colleen Houck

Hey pessoal, tudo bem?

Logo no começo da obra já é perceptível a evolução na qualidade da escrita da autora, bem como a sua construção de personagens e capacidade de transmitir para o leitor toda a sua pesquisa sobre a mitologia empregada nessa nova saga. Contudo, apesar de ter adorado cada momento da leitura sobre esse novo mundo envolvendo deuses egípcios, confesso que achei desnecessário ter transformado essa história em mais uma série. Abaixo vocês vão entender o motivo. 




Quando a jovem de dezessete anos, Lilliana Young, entra no Museu Metropolitano de Arte certa manhã, durante as férias de primavera, a última coisa que esperava encontrar é um príncipe egípcio ao vivo com poderes divinos, que teria despertado após mil anos de mumificação.E ela realmente não poderia imaginar ser escolhida para ajudá-lo em uma jornada épica que irá levá-los por todo globo para encontrar seus irmãos e completar uma grande cerimônia que salvará a humanidade. Mas o destino tem tomado conta de Lily, e ela, juntamente com seu príncipe sol, Amon, deverá viajar para o Vale dos Reis, despertar seus irmãos e impedir um mal em forma de um deus chamado Seth, de dominar o mundo.





Lilliana Young sempre teve tudo o que sempre quis: dinheiro, uma cobertura com vista para o Central Park, bolsas de marca e a melhor educação que o dinheiro pode comprar, e em troca ela só precisava abrir mão de sua liberdade e ser a filha perfeita. Contudo, ao visitar a recente exposição sobre o Egito no Museu Metropolitano de Arte - MET - ela se depara com nada menos que uma múmia, descobrindo então que na verdade se tratava de um antigo Príncipe do Egito que despertava a cada mil anos para impedir que um mal ancestral mergulhasse a Terra em caos e destruição. Contrariando tudo o que sempre acreditou, e questionando sua própria sanidade mental, juntos embarcam em uma busca pelos irmãos do príncipe na antiga terra dos Faraós. O que acontece quando você se apaixona por alguém cuja estadia no mundo dos vivos será breve? 

Amon-Rá / Anubis

- No meu país, a esfinge em geral é representada como homem, mas os gregos acreditavam que a esfinge era fêmea: metade leoa, metade humana. Gosto mais dessa versão. Uma leoa tem coragem e inteligência. É uma caçadora que provê os filhos de comida. Todos os animais que ela caça tem potencial para matá-la, mas ela os caça mesmo assim, porque há outros seres que dependem dela. Ter um coração de esfinge significa ter um coração de leoa. 
Pág.: 86

Como disse no começo do texto, a narrativa de Houck melhorou bastante. Temos cenários mais bem desenvolvidos e diálogos mais dinâmicos, o que tornam a leitura bem mais agradável. Não me entendam mal, sou apaixonado pela Saga do Tigre, mas é inegável que a narrativa encontrada em O Despertar do Príncipe é bem mais cativante e envolvente. As descrições dos cenários do antigo Egito são tão incríveis - não, lá não tem só areia HAHAHA - que me senti frente a frente às Pirâmides de Gizé e contemplando o Vale dos Reis. 

Os personagens dividiram minha opinião, assim como aconteceu na outra série da autora. Lily é bem mais interessante que Kelsey, pois não fica pelos cantos reclamando ou achando que tudo na vida dela está errado, mas sim, aceita seu destino e dá o seu melhor para cumprir seu objetivo com dedicação. Já Amon não me agradou nem um pouco. Ao contrário de Ren, ele não conseguiu me cativar em nenhum aspecto, achei-o um tanto quanto arrogante e imperativo, principalmente quando usava de seus poderes para fazer Lily se submeter à sua vontade ou decidia o que era melhor para ela sem sequer ouvi-la. O ponto alto da construção de personagens foi Asten, que apesar de convencido apresentava essa característica de uma forma cômica e divertida. Finalmente achei alguém tão convencido quanto eu HAHAHAHAHA. 

Diagramação

Eu conseguia distinguir as cores das estrelas a olho nu, algo que sabia ser impossível. Identifiquei os anéis de Saturno, uma estrela binária e uma galáxia distante. Então, de repente, o mundo se modificou.
As estrelas caíram. 
Pág.: 338

O final foi simplesmente sensacional, pois a autora conseguiu finalizar tudo de uma maneira impecável e emocionante, e é por isso que iniciei a resenha falando que achava desnecessário ter transformado essa história em uma série. Durante toda a narrativa a autora nos apresenta uma missão a ser realizada pelos protagonistas e ao final ela encerra essa história sem deixar pontas soltas, contudo, em uma página e meia de epílogo ela decide acrescentar um plot twist que abre uma porta para o próximo livro. Quando um livro deixa coisas inacabadas ao londo da narrativa e você vê que pode haver uma continuação, é algo bacana e balanceado, mas encerrar a história e decidir colocar o gancho para a continuação em uma página e meia, é forçar a amizade com força. Contudo, só poderemos saber se realmente valerá a pena, ou ocorrerá a "maldição do segundo livro", quando Coração da Esfinge for lançado. 

A edição não poderia ser mais linda. A capa em si já apresenta elementos muito bonitos, como as cores utilizadas no título, a imagem do Olho de Horus e os hieroglifos egípcios que o contornam. Por dentro temos lindas imagens que separam o livro em três partes e pequenos círculos que numeram os capítulos, como pode ser visto na imagem acima. Não encontrei erros de digitação ou revisão. Leitura mais que recomendada. 

                                                                                                               

Normalmente coloco apenas os dois quotes que mais gostei nas resenhas, mas achei tão interessante a palavra Hakenew, usada por Amon, que decidi colocar abaixo a citação com a definição dada pelo príncipe. 

- Hakenew, Lily.
- Isso quer dizer "obrigado", não é?
- Quer dizer mais que um simples obrigado. Expressa um profundo sentimento de gratidão por outra pessoa. É um agradecimento pelo calor e pelo conforto duradouros que se sente na companhia de alguém especial. Não estou agradecendo a você, Lily. Estou agradecendo por você.
Pág.: 114

A Rainha Vermelha - Victoria Aveyard

Hey pessoal, tudo bem?

Em um mercado onde a cada dia é publicado um novo livro distópico, feliz é aquele autor que conseguir criar uma história original e que cativa o leitor. Contudo, há também espaço para aqueles que conseguem pegar histórias já trabalhadas e as apresentam sob uma nova roupagem, juntamente com personagens cativantes e habilidades sobre-humanas, e é nesse quesito que encaixo A Rainha Vermelha. Victoria Aveyard uniu a desigualdade social de A Seleção aos  poderes de X-Men e deu origem a um dos melhores livros que li em 2015.



O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.
Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?
Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.




As pessoas no mundo criado por Aveyard são divididas pela cor do seu sangue. Os de sangue vermelho são pessoas normais e que vivem uma vida de servidão e trabalho árduo; os de sangue prateado são idolatrados por muitos e vivem uma vida cheia de fartura e regalias, sendo muitas vezes comparados a deuses, seja por sua nobreza, seja por seus poderes. Esse é o mundo de Mare, uma jovem que rouba para ajudar a família a não passar fome, e que está prestes a ser convocada para servir na guerra. Quando tudo parecia desmoronar ao seu redor, algo inusitado acontece e ela acaba despertando seu poder, o que gera muitas dúvidas, afinal, ela possui sangue vermelho, mas os poderes de um prateado. Que o jogo de intrigas e traições comece!

Os prateados são deuses entre homens. Seus poderes desafiam o impossível.

Na escola, aprendemos sobre o mundo de antes de nós, sobre anjos e deuses que viviam no céu e governavam a Terra com mãos ternas e gentis. Alguns dizem que não passam de histórias, mas não acredito nisso. 
Os deuses ainda governam. Ainda descem das estrelas. Só não são mais gentis.
Pág.: 16

Mesmo apresentando elementos já vistos em outras obras, como as citadas no começo do texto, esse livro me cativou não somente pela junção de dois elementos que adoro (poderes e nobreza), como também pela narrativa excepcional da autora. Victoria consegue prender o leitor do começo ao fim com sua maneira de expor fatos e construir diálogos, fazendo com que a obra seja lida como se não houvesse amanhã. Outro ponto que também dá destaque à narrativa são os jogos políticos e as traições. Você nunca sabe quem é confiável ou se alguém que se mostra um amigo irá te apunhalar pelas costas na página seguinte, e isso é excelente, pois faz com que a leitura não seja algo previsível. 

A construção de personagens também está excelente. Mare, apesar de ter algumas recaídas, não é aquele tipo de personagem "mimizenta" que nunca está satisfeita com nada e que fica dando suspiros pelos cantos em nome do amor. Ela sabe o que quer e corre atrás de seus objetivos, mesmo que para isso ela tenha que jogar fora o próprio orgulho e se tornar aquilo que ela mais repudia, uma prateada. O Príncipe Herdeiro possui uma personalidade muito parecida com a de Chaol, de Trono de Vidro, pois sua lealdade e senso de justiça são inabaláveis. Já Evangeline é a típica bitch  menina que está acostumada a ter tudo e que faz da vida de Mare um inferno, pois vê a protagonista como uma pedra no seu caminho para se tornar Rainha. 

Ilustração do começo do livro / Ilustração de inicio de capítulo.

O calor aumenta quase ao ponto de queimar o ar nos meus pulmões. Sobrevivi à eletricidade hoje, não quero tentar a sorte com o fogo.
Mas é a fumaça que vai me matar. Grossa, negra, forte e sufocante. Minha vista fica turva e as pálpebras, pesadas. Ouço passos, gritos e o crepitar do fogo à medida que o mundo escurece.
- Sinto muito.
Pág.: 82

O final do livro me deixou sem chão. A autora leva o leitor a acreditar em um determinado acontecimento, para então sambar na cara da sociedade com uma reviravolta de deixar qualquer um de queixo caído. Estou doido para ler Glass Sword (Espada de Vidro em tradução literal) que tem previsão de lançamento para Fevereiro do ano que vem. Chega logo 2016! 

A edição está linda, porém, simples. A capa possui uma ilustração fantástica e é toda prateada, exceto pelo sangue escorrendo da coroa. Temos uma ilustração no começo da obra e pequenos detalhes abaixo da numeração dos capítulos, como pode ser visto acima. Fora isso, a obra segue o padrão dos demais livros da editora: páginas amareladas, fonte mediana e um espaçamento entre linhas que torna a leitura fluida. Não encontrei erros de revisão.

Tudo O Que Você Precisa Saber Sobre Mitologia - Kathleen Sears

Saudações, caros leitores, como você estão?

Mitologia talvez seja uma das temáticas que mais vem ganhando espaço dentro das diferentes mídias atualmente, como filmes, HQ's, séries e livros. O que torna esse assunto tão interessante é a sua vastidão, possibilitando aos autores uma melhor e maior exploração sobre o tema e seus personagens. Apesar de existirem vários mitos que trabalham com outras culturas, como os nórdicos, os egípcios, os japoneses, dentre outros, em seu livro, Kathleen Sears apresenta somente histórias e explicações que permeiam as civilizações greco-romanas. 


Quem nunca se interessou por mitologia que atire a primeira flecha... ops, pedra! A verdade, porém, é que a gente acaba se perdendo entre tantos mitos, tantos deuses e deusas e monstros, tantos nomes e acontecimentos. E vários pontos ficam meio sem resposta na nossa cabeça:
- Quem Zeus puniu por desobediência?
- De quem Hera se vingou?
- Quais são, afinal, os 12 trabalhos de Hércules?
- Édipo era mesmo apaixonado pela mãe?
- Essas respostas – e muitas outras – estão neste livro!
Navegue por capítulos dedicados a cada imortal e mortal da mitologia antiga, grega e romana, e descubra os pontos em que os mitos se encontram. Não importa se quer saber por curiosidade ou se quer arrasar mostrando seus conhecimentos em conversas por aí: Tudo o que você precisa saber sobre mitologia tem o que você precisa saber!



Como já era esperado, o livro não conta com uma única história, mas com um compilado de mitos sobre os deuses, monstros e mortais que pertencem à cultura greco-romana. A autora tem como principal objetivo mostrar aos leitores que os mitos vão muito além de meras histórias fictícias e que eles podem influenciar no seu cotidiano. Após fazer uma breve introdução, Kathleen nos apresenta uma definição de "mito" e alguns elementos explicativos que os estruturam, como a criação e como será a organização dos contos dentro da obra, uma vez que terá que distinguir qual pertence à cultura grega e qual pertence à romana, diferenciando cada uma com uma letra no começo de cada narrativa, ou seja, R para Romana e G para Grega.

Ilustração de uma Quimera presente no livro. Século V a.C.

Nem mesmo Zeus podia desafiar as Moiras. No entanto, preparou um acordo. Perséfone viveria com Hades no Submundo durante quatro meses do ano e os outros oito meses ficaria com a mãe (alguns mitos dividem a quantidade de meses igualmente: seis e seis). Assim,  o mito explica por que as estações mudam. Quando Perséfone está com a mãe, as flores desabrocham e as plantações crescem e dão frutos, mas, quando está com o marido no Submundo, as plantas murcham e morrem.
Pág.: 77

Algo que me surpreendeu neste livro foi sua linguagem, que não é muito simples, mas também não muito técnica. Por ser uma obra cujo objetivo não é entreter o leitor com uma história ao estilo Percy Jackson e os Olimpianos, mas de informar, tornar um instrumento de consulta e estudo, todos os mitos são narrados em terceira pessoa. Além disso, a forma como eles são contados é bem interessante, uma vez que a autora tenta deixar a leitura um pouco divertida acrescentando vez ou outra elementos humorístico que causam ânimo no leitor, sem deixar de lado a seriedade quando necessário. 

Outro fato que gostei neste livro foi que a autora no decorrer da obra vai citando obras literárias e cinematográficas que trabalham com mitologia, já fiz até uma lista das minhas próximas leituras. A edição em si se assemelha bastante ao O Livro de Ouro da Mitologia, escrito por Thomas Bulfinch, entretanto, confesso que gostei mais da organização de Sears do que da de Thomas. Quanto às histórias, a que mais gostei foi a do romance forçado entre Hades e Perséfone; Hefesto pelo seu jeito de ser e por ele ter enfrentado Zeus em outra versão de sua queda dos céus; e Medusa, pela sua forma, que apesar de sua aparência horripilante, acredita-se que ela já foi uma linda mulher e que sua beleza atraíra Poseidon. 

Medusa, de um vaso do século VI a.C. | Ilustração presente no livro

Um filho grotesco a Medusa
Caco era filho de Hefesto e Medusa. Por herdar as propriedades do fogo de seu pai e a monstruosidade de sua mãe, Caco era um monstro cuspidor de fogo por vezes descrito como um gigante de três cabeças. Ele comia carne humana e decorava sua caverna com os ossos e os crânios das vítimas.
Pág.: 180

Apesar de ter citado somente os mitos que mais gostei, vale ressaltar que a maioria deles contém muita loucura, reviravoltas, incestos, sexo, bastante sangue derramado em vinganças, guerras e pequenos conflitos. Embora o livro tenha suas 256 páginas, não recomendo uma leitura corrida, uma vez que são muitas informações para absorver, sem mencionar as curiosidades que a autora vai apresentando no decorrer das narrativas. Desta forma, deixo a minha recomendação àqueles que queiram aprender um pouco mais sobre a mitologia, ou apenas possuem curiosidade para com o tema. 

A diagramação está simples, contando com um tamanho de fonte agradável, um ótimo espaçamento entre linhas e várias ilustrações, como pode ser visto acima. Já na edição temos páginas brancas, duas árvores genealógica dos deuses gregos e romanos e uma bela capa. Não encontrei nenhum erro aparente na revisão.

Encruzilhada - Kasie West

Olá Vintagers!

Antes de qualquer coisa gostaria que vocês refletissem sobre as vezes que se viram diante de uma situação e tiveram que fazer uma escolha entre dois caminhos. O que levou em consideração? Vocês pensam em quem poderá sair prejudicado com a possível escolha? Hoje venho mostrar a vocês Encruzilhada, da autora Kasie West, um livro que superou minhas expectativas tanto pelo enredo quanto pelos personagens e que, durante e após finalizar a leitura, me fez refletir bastante. Vamos lá?




A vida de Addison Coleman é um grande “e se…?”, graças à sua habilidade especial: Investigar Destinos. Addie é capaz de prever duas possibilidades de seu futuro toda vez que precisa tomar uma decisão. Quando os pais dela anunciam o divórcio, a garota deve escolher se vai morar com o pai entre os Normais ou se prefere ficar com a mãe no Complexo Paranormal. Para ter certeza do que a espera, Addie resolve Investigar. Em uma alternativa, ela conhece Trevor, um Normal sensível com quem logo sente uma conexão. Na outra, se envolve com Duke, o garoto mais popular da escola Paranormal. E agora, em qual futuro Addison estará disposta a viver?




Resumo

Addison Coleman é uma adolescente que vive em uma comunidade chamada Complexo onde todos conseguem aproveitar toda a sua capacidade cerebral através de programas super desenvolvidos, juntamente com alguns exercícios mentais, e como consequência são capazes de desenvolver habilidades especiais. Laila, sua melhor amiga, possui a capacidade de Apagar Lembranças, seu pai é um Discernidor de Mentiras e sua mãe é Persuasiva (acho que minha mãe também possui esse poder *-*). Addie, por sua vez, é uma Investigadora de Destinos, ou seja, toda vez que se depara com uma escolha ela consegue visualizar o que pode acontecer nas duas alternativas do seu futuro, sendo assim capaz de escolher a “melhor escolha” e evitar acontecimentos desastrosos.

Quando os pais de Addie decidem se separar eles deixam para ela a escolha sobre com quem quer ficar. A garota precisar escolher entre ficar com sua mãe, permanecer morando no Complexo e mantendo sua vida igual, ou ir embora com seu pai para o mundo Normal, onde ninguém sabe da existência das pessoas do Complexo.

Addie no Complexo / Addie no mundo Normal.

– Alguém vai me contar o que está acontecendo? – Olhei diretamente para o meu pai, esperando que ele contasse. Independentemente do que fosse, meu pai diria com mais cuidado. Ele reconhecia a existência de sentimentos. Diferente da minha mãe, que parecia achar que as pessoas eram como os programas que ela desenvolvia: fáceis de reconfigurar quando não reagissem como o esperado.
Pág.: 14

Addie ama sua vida atual, porém, o fato de ficar longe de seu pai a mata por dentro e por isso ela decide Investigar os destinos que a aguardam. O que ela não esperava é que tomar uma decisão nunca seria tão difícil, pois em ambos os lados ela encontrará muita felicidade, mas também muitas perdas. Qual realidade Addie escolherá?

Opinião

Não é novidade que sou apaixonada por histórias que abordam poderes misturados com uma história de amor adolescente. E não foi nem preciso que eu fizesse uma Investigação para saber que iria me encantar pelo mundo criado por Kasie West, a autora conseguiu passar para as páginas com excelência seu estilo de escrita suave e de fácil entendimento. Me senti totalmente à vontade com a leitura, tanto que li por horas e nem percebia o tempo passando. Um dos pontos que amei: os capítulos do livro vão se alternando entre os dois prováveis futuro, que foi uma ótima sacada da autora, deixando a história bem mais eletrizante e nada cansativa. Fora os quesitos “curiosidade” e “adrenalina” ao final de cada versão que sempre me deixavam com aquele sentimento de "só mais um capítulo".

Destaque para o Mini-Dicionário com palavras criadas pela Addie que vêm antes de cada capítulo, resumindo assim o que vai acontecer. Achei isso uma barato, pois são palavras estranhas (algumas nem tanto) e ao mesmo tempo muito engraçadas.

Uma das palavras do Dicionário da Addie.

Como não se encantar pela personagem principal? Addie é uma garota inteligente e super nerd que, apesar de ser linda, não se importa nem um pouco com a beleza externa, para ela o que importa é o que há por dentro. Me identifiquei bastante com a garota, pois encontrei nela alguns pontos que vejo em mim, como sarcasmo e ironia em algumas situações, o amor pelos amigos e a nerdice (óbvio). Porém o que mais me chamou atenção foi o “poder” que Addie possui. Pensa que legal seria se você pudesse ver quais são seus possíveis futuros antes de tomar uma determinada decisão. Agora pensa em como isso te livraria de muitas mancadas e tropeços *-*. Mas vamos com calma, como dizia Tio Ben, “com grandes poderes vem grandes responsabilidades”. Addie se vê entre dois destinos e cada um com suas alegrias e decepções, e o que é mais doloroso é que abrir mão de um seria perder algo importante para todo o sempre. Imaginem que barra que a garota carrega consigo.

Frente e verso do livro.

– Ela adora ler, mãe. Tipo esses livros velhos e chatos, esses que o papai gosta. – Trevor aponta para a HQ sobre a escrivaninha. – E também gosta de coisas bobas, como eu. E não gosta muito de futebol americano. Acho que só tolera para não ficar chato. É super inteligente, minha principal concorrente na aula de política. E acho que está se contendo desde que entrou no meu quarto para não arrumar os sapatos que estão caindo do guarda-roupa. 
Pág.: 228

Na história conhecemos também Laila, que é uma garota impulsiva, atrevida e muito engraçada; Temos Duke, que é o famoso “mais gato da escola” e que, em um dos possíveis futuros, é o pretendente de Addie; Trevor, um garoto Normal que no outro futuro possível, além de se tornar seu melhor amigo, também se torna uma paixão. A autora conseguiu criar personagens excelentes e de uma maneira única.

A edição está perfeita. A capa do livro é linda e mostra as duas faces de Addie, o que nos remete aos destinos que a garota tem que enfrentar. A diagramação é simples, mas bem trabalhada. As páginas em tons amarelados, somados a uma fonte mediana e um bom espaçamento entre linhas, facilitam a leitura.


Em Encruzilhada pude refletir sobre o nosso poder de fazer a escolha certa, mas infelizmente não possuímos o dom de Addie, porém, isso não nos impede de sempre, antes de tomar qualquer decisão, investigarmos o nosso coração, nosso cérebro e as possíveis consciência para que tenhamos um ótimo futuro.

Rock Kisses e boa leitura!


Feitiço da Sombra - Nora Roberts

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Hoje vou falar um pouquinho a respeito do segundo livro da trilogia Primos O’Dwyer, escrito por uma das romancistas mais famosa do mundo: Nora Roberts. Se gosta de romance, você precisa ler um dos livros dessa autora, opção de escolha é o que não falta já que ela tem mais de 100 histórias já escritas.



Connor O’Dwyer se orgulha de chamar o Condado de Mayo de seu lar. É lá que Branna, sua irmã, mora e trabalha e onde Iona, sua prima, encontrou o verdadeiro amor. Foi nessa terra que seus parentes e amigos formaram um círculo de proteção que nunca poderá ser rompido... Até que um beijo põe em risco a segurança de todos. Depois de um breve encontro com a morte, Connor e a melhor amiga de sua irmã se entregam um ao outro. Eles se dão bem desde a infância e, depois do tórrido encontro, o rapaz tem esperança de que esse relacionamento evolua. Para frustração dele, no entanto, Meara se contenta apenas com o prazer do momento, temendo se perder – e perder a amizade dele. Essa mudança em sua relação pode abalar o círculo e permitir que uma perigosa ameaça ressurja aos poucos, como uma névoa. Para detê-la, Connor precisará novamente da família e dos amigos para despertar a força e a fúria que correm em seu sangue. Quem sabe pela última vez.


Após o ataque sofrido durante o solstício, Cabhan passa a se esgueirar nas sombras, rondando os integrantes do clã O´Dwyer e aguardando a próxima chance de atacar. Connor é um dos bruxos da noite e é um rapaz de bom coração, leal e muito poderoso, sendo capaz de ter uma rara ligação com um dos filhos da primeira bruxa da noite (Eamon), viajando no tempo através dos sonhos. Mas esse poder passa a chamar a atenção do bruxo das trevas.

Meara sempre foi a melhor amiga da irmã de Connor e isso fez com que eles crescessem juntos e criassem um forte laço de amizade, contudo, ele sempre a achou uma verdadeira beldade com seus traços de cigana e olhos castanhos, assim como ela também percebia a beleza dele. Entretanto, como sempre se relacionaram como irmãos, evitavam demonstrar tamanho interesse, mas uma situação de risco fará com que Meara perceba que o medo de perde-lo não se deve apenas pelo afeto que sente por ele, o que faz com que sua amizade de infância seja abalada, dando inicio a uma relacionamento perigoso. 

O mal se esconde na floresta.

- Teremos bons e maus dias até isso terminar, mas por enquanto temos de viver o melhor que pudermos.
Pág.: 89

É inegável que a autora possui uma escrita suave e fluida. Na trilogia Primos O´Dwyer ela pega a famosa fórmula de romance água com açúcar na qual mocinha e mocinho sofrem alguns desencontros, passam por dilemas, mas no final acaba tudo bem, e acrescenta um pouco de ação e magia já que a base dessa história é a batalha que os seis amigos travam contra um bruxo do mal. É uma série de livros gostosa para passar o tempo, apesar de ser bastante previsível.

No primeiro volume a história de Iona e Boyle é o foco da narrativa, mas em Feitiço da Sombra os protagonistas são Connor e Meara. Como já disse, esta é uma história sem grandes reviravoltas, desde Bruxa da Noite já da para ter uma noção dos casais que serão formados e qual o destino e cada um, mas mesmo assim é gostoso acompanhar o desenrolar do relacionamento deles. O romance entre os protagonistas se dá de forma bastante explosiva, enquanto ela é uma mulher decidida com porte de guerreira que tem medo de se relacionar por se embasar no casamento mal sucedido de seus pais, ele é um romântico incorrigível que deseja para si o mesmo amor à sombra do qual foi criado.

Todo bruxo da noite deve confiar no poder de seu guardião.

No instante em que Meara havia ficado entre sua luz e a escuridão de Cabhan, Connor soube que conhecera toda a verdade do amor. Entendeu que vinha com o peso do medo e dos riscos. Soube que poderia se perder em seu labirinto, aceitaria enfrentar as sombras, se valeria de sua luz e experimentaria os altos e baixos de sua vida, as partes calmas e os súbitos obstáculos.
Com ela.
Pág.: 207

Confesso que achei esse volume um pouco repetitivo, o padrão da história é bem semelhante ao do livro anterior onde os seis amigos tentam encontrar uma forma de derrotar Cabhan enquanto ele fica rondando e atormentando suas vidas. Ao mesmo tempo temos um romance regado a cenas levemente picantes se desenvolvendo, por fim os protagonistas travam uma grande batalha contra o inimigo. É claro que a forma de contar a história muda completamente, o que acaba impulsionando a leitura, mas a base segue essa a mesma linha.

A capa é lindíssima e traz a imagem do animal protetor do protagonista que recebe foco nessa história, a lombada detalhada e de tom verde fica linda quando colocada ao lado da do primeiro volume, que é vermelha. A diagramação foi muito bem feita, as páginas são de tom amarelado, há um espaçamento agradável entre as linhas e a fonte é de tamanho mediano. Recomendo a leitura dessa série para fãs de romances água com açúcar.


Lançamentos de Agosto/Setembro - Editora Gente/Única

Hey pessoal, tudo bem?

A Editora Única/Gente preparou alguns lançamentos para os meses de Agosto/Setembro que irão agradar vários tipos de leitores. Temos livros que vão desde um romance histórico, que promete trazer todo drama, glamour e romance da época, até algo dedicado aos apaixonados por literatura fantástica e magia. Bora conferir?




Gilly não se considera exatamente uma garota má... Porém, quando se tem cinco irmãos e irmãs mais novos, é preciso ser criativo para ajudar nas despesas. Ela é uma ladra muito boa, e disso tem certeza e pode se gabar. Até ser pega. Depois de roubar uma presilha, é sentenciada a passar três meses no Reformatório de Contos de Fadas – no qual os professores são aqueles antigos vilões que já conhecemos, como o grande Lobo Mau e a malvada Madrasta da Cinderela. Quando, porém, ela faz amizade com alguns estudantes, como Jax e Kayla, aprende que esse reformatório vai muito além de sua missão heroica. Há uma batalha ganhando forma e Gilly precisa descobrir: os vilões podem realmente mudar? Descubra o Lado B dos contos de fadas.





Mais do que nunca, nosso corpo exige que paremos para lhe dar atenção. As rotinas que vivemos preenchem nosso organismo com toxinas provenientes de má alimentação, dietas malucas e outros hábitos prejudiciais. E o resultado dos nossos hábitos destrutivos? Descontrole emocional, ganho de peso, doenças, indisposição e tantos outros malefícios que nos impedem de ter uma vida maravilhosa.
Detox total 7 dias é uma proposta que o ajudará a resgatar sua saúde, controlar o estresse, ter mais disposição e, ainda, perder peso de maneira saudável. Neste livro, Victoria Boutenko, especialista pioneira na área, compartilha:
O guia completo para seu retiro detox;
Material educativo sobre o que é o processo de desintoxicação e quais os benefícios para sua saúde;
50 receitas, incluindo sucos, sopas, cremes e saladas.



Um jogo de mistério e sedução que não terminará a menos que os dois se entreguem.
A Inglaterra do século XIX é elegante, charmosa e aventureira. Um lugar onde é difícil não se deixar levar pelos deliciosos (e perigosos) jogos que lords e ladies libertinamente experimentam. Não poderia ser diferente na bela Brighton, o lar de Ellie Vyne e James Hartley: inimigos declarados desde a infância.
Ellie sempre foi uma mulher de ideias a frente de seu tempo, temperamento forte, ousada e, principalmente, avessa a todas as tentativas de suas irmãs para lhe arrumarem um marido. Afinal, com 27 anos era um absurdo ainda perambular sozinha por aí. E é claro que James, um dos solteiros mais cobiçados da cidade, fazia questão de deixar clara sua desaprovação.
Durante suas misteriosas escapadas, Ellie rouba algo muito precioso de James, que não terá paz até descobrir a identidade do ladrão. Querendo ou não, eles estão cada vez mais próximos.
Como resistir ao charme de James e levar sua mentira adiante? Nesse jogo de perdição, Ellie arriscará tudo, inclusive seu coração. Enquanto James tenta desvendar o segredo da jovem, o desejo proibido que surge entre os dois será capaz de romper com todas as regras da alta sociedade inglesa.



Vivemos em um mundo que a cada dia nos surpreende mais e nos deixa frequentemente com a sensação de desamparo e confusão. Quando parece que não há nada que explique os acontecimentos de nossas vidas, sentimos falta de uma palavra que nos conforte e nos guie nos temas mais importantes da existência.
Para aqueles que buscam inspiração, direcionamento, conforto ou força, as palavras revigorantes do Papa Francisco vão fornecer a matéria necessária para que encontrem. Esta coletânea de citações do Papa convida os leitores a viverem a experiência de suas palavras.
Eleito o papa mais popular da história, trazendo para o catolicismo a promessa de um recomeço, ele é um ícone não só para os cristãos como para pessoas de todas as religiões. Papa Francisco – a essência de sua sabedoria é um convite para nos aproximarmos de Deus por meio de nossas orações e nos desafia a alcançar aqueles que passam por necessidades, lembrando-nos sempre da misericórdia e da compaixão de Jesus.



O que acharam? Qual seu lançamento mais desejado? O meu é Escola de Vilões *__*.